25 de janeiro de 2022
Campo Grande 36º 23º

INTERNACIONAL | TALEBAN

Crise em Cabul: 17 afegãos se ferem em confusão em aeroporto hoje (18.ago.2021)

Tumulto aconteceu após forças da Otan tentarem dispersar civis sem passaporte ou visto

A- A+

Nesta 4ª feira (18.ago.2021) o aeroporto de Cabul voltou a viver momentos de tensão, após tentativas das forças da aliança militar ocidental, Otan, de dispersar uma fila com civis sem passaporte ou visto do Aeroporto Internacional Hamid Karzai

Segundo informações da Agência Folhapress, ao menos 17 pessoas foram feridas nesse episódio. 

Desde a tomada de Cabul, ainda no domingo (15.ago), ocidentais tentam deixar a capital do Afeganistão, após duas semanas de campanha militar por parte do Taleban. "Estava um caos, ninguém sabia quem estava dando ordens", revelou Mohammad Wadhat, um funcionário do governo que escapou para Istambul (Turquia) na manhã do domingo, à Folha.

Enquanto Mohammad tentava deixar o país, as tropas talebans já batiam nas periferias cabulitas. No domingo e na segunda, cerca de 2.000 afegãos vagavam pela pista do aeroporto, quando foram registradas cenas lamentáveis de pessoas que caíram dos aviões após tentar sair do país, “agarradas” à fuselagem, pelo lado de fora da aeronave, um cargueiro C-17 dos EUA. 

Ainda, uma investigação revelou que pelo menos uma pessoa foi esmagada pelo fechamento das portas do trem de pouso. Ainda em abril, Joe Biden anunciou a retirada de tropas americanas de território afegão para o dia 31 de agosto, fato que aconteceu às pressas 12 dias antes do prometido. 

Após cenas de caos, Joe Biden emitiu um pronunciamento dizendo que a presença dos norte-americanos no Afeganistão - pelo período de 10 anos - seria com a intenção de punir o Taleban por abrigar integrantes da Al Qaeda, que assumiu autoria dos ataques de 11 de setembro.

Não por falta de aviso, a inteligência americana já alertava para o rápido avanço do grupo radical, sendo que o governo insistiu - na semana passada - que Cabul resistiria por no mínimo 1 mês e até por 90 dias, quando tropas já estavam a menos de 100 km da capital.

Sob responsabilidade da Otan, 2.200 diplomatas e funcionários de embaixadas foram retirados do aeroporto, em balanço divulgado hoje (18.ago), que não revela quantos afegãos. Nesta madrugada, um avião fretado pelo governo da empresa aérea Lufthansa chegou a Frankfurt com evacuados. 

Cerca de 600 militares alemães estão na operação, assim como franceses -grandes cargueiros A-400M dos dois países estão operando em Cabul.

Ainda, surgiram relatos de que, na volta para suas casas, frustrados por não embarcarem nos aviões que partiam, civis teriam sido agredidos por militantes do Taleban, o que foi negado pelas forças ocidentais. 

A Folha revela que o fluxo de voos militares parece normalizado para proceder a evacuação e cerca de seis mil fuzileiros navais foram destacados para a missão, cerca de 3.500 dos quais estão no aeroporto, onde funciona a embaixada americana e representações de outros países ocidentais, sendo que militares britânicos também estão por lá.

Em campanha para passar uma mensagem de que agora é moderado, o Taleban apenas negou a violência contra os que tentaram fugir e buscou não interferir de forma decisiva na retirada. 

Ainda assim, o momento Saigon do presidente Biden, na analogia com a evacuação da capital sul-vietnamita quando a derrota para o norte comunistas se consumou em 1975, parece destinado a seguir cobrando preço político do democrata.