19 de janeiro de 2022
Campo Grande 34º 24º

SOLIDARIEDADE

Pais buscam doadores de medula em MS para salvar Daniel, de 2 anos

Ele precisa encontrar doadores em 16 dias

A- A+

Os pais do pequeno Daniel Guimarães, de apenas 2 anos de idade, diagnosticado com Leucemia Linfóide em outubro de 2020, correm contra o tempo para encontrar um doador de medula óssea 100% compatível com o filho, o prazo é o próximo dia 23 dezembro.

“Estamos implorando pela doação, pelo cadastro no Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea (Redome). Quanto mais gente cadastrada, significa mais chances do Dani ter um doador 100% compatível”, afirmou o pai, Leonardo Ribeiro.

Uma campanha #ajudedanielguimaraes foi criada nacionalmente para tentar encontrar um doador compatível. A família explica que o próximo dia 23 a criança fará um novo exame para avaliar o avanço da doença, no eventual sucesso do tratamento quimioterápico, a família irá a São Paulo na tentativa de acelerar a busca por um doador 100% compatível com o pequeno Daniel.

DOAÇÃO

Como a busca é nacional, a família mobilizou uma rede amigos e colaboradores e chegou até o Mato Grosso do Sul. "Se você tem entre 18 e 35 anos, e esteja com boa saúde, pode ser um doador. Basta procurar o hemocentro mais próximo de você, e com uma simples coleta de sangue para amostra, você entrará para banco de dados, e caso haja compatibilidade, o órgão entra em contato com você, e daí então darão continuidade ao tratamento. Este procedimento de captação de amostra e cadastro é um processo rápido, prático e gratuito, e essencial para a salvação de muitas vidas", explica o trecho da campanha.  

O doador é cadastrado no Redome e os dados genéticos são cruzados com os dos pacientes que precisam da medula. Se der compatibilidade genética através do exame HLA, a doação pode ser realizada. Porém, para ter compatibilidade a chance no Brasil é de uma em cem mil e com alguém de outro país de uma em um milhão.