27 de setembro de 2020
Campo Grande 39º 25º

Ladrões

Para prender trio de ladrões, polícia atira em frente a escola no Centro

Ninguém ficou ferido e ação, que assustou comerciantes, trabalhadores e testemunhas, terminou com três presos

Perseguição e tiros no Centro de Campo Grande, no fim da manhã desta segunda-feira (2), deixaram comerciantes e testemunhas assustados. Apesar do susto, ninguém ficou ferido e ação terminou com três presos.

Equipe da Polícia Civil passava pela região da Santa Casa, quando uma mulher gritou por socorro. Ela havia flagrado um trio levando o carro dela, um VW Gol. Assim que soube do ocorrido, policiais iniciaram perseguição.

De acordo com quem testemunhou o ocorrido, na Avenida Mato Grosso, bem na faixa de pedestres em frente ao Colégio Dom Bosco, policiais dispararam pelo menos duas vezes. “Ninguém sabia o que estava acontecendo e tinha alunos na frente da escola. Todo mundo se abaixou. Foi uma irresponsabilidade, porque tinha muita gente passando”, afirmou jovem de 19 anos que diz ter visto tudo.

Uma comerciante também criticou a forma como a polícia agiu. “Tem de ver que é um horário de muito movimento, tem muita criança e muito idoso. Podia ter pegado uma bala em qualquer pessoa que estava passando aqui naquele momento”.

Graziela Félix, de 33 anos, conta que ouviu o barulho dos tiros, mas só entendeu o que havia acontecido quando viu a viatura e o trio – dois homens e uma mulher – ser abordado. “Aí a gente ficou nervosa, pensando, vai que eles trocam tiros. A mulher veio desesperada”, contou sobre a dona do carro.

Funcionário de loja de fogões localizada na 14 de Julho, onde terminou a perseguição, a poucos metros do Dom Bosco, Amilton Pereira Alves Junior, também de 33 anos, comentou sobre o susto. “A gente não é acostumado a ver essas coisas ao vivo, só na TV”.

Empregada no mesmo comércio onde Amilton trabalha, Daniele Dionísio, de 24 anos, conta que correu para o banheiro quando percebeu os estampidos de tiros. “A gente chegou a pensar que era pneu estourando”.

O trio foi levado para a 6ª DP (Delegacia de Polícia). A reportagem tentou contato com a polícia, mas não conseguiu detalhes porque a equipe está ocupada ouvindo os ladrões, vítima e testemunhas.