25 de novembro de 2020
Campo Grande 34º 23º

Dourados

Pediatra terá que devolver R$ 77,5 mil após receber sem cumprir plantões

A médica faltou plantões e fraudou o ponto eletrônico por meio do preenchimento manual entre os meses de maio

Médica pediatra, que não teve o nome divulgado, flagrada fraudando ponto eletrônico no Hospital Universitário de Dourados, distante 233 quilômetros de Campo Grande, vai ter que devolver para a unidade o valor de R$ 77,5 mil, quantia que recebeu pelos plantões que não compareceu. A proposta foi do MPF (Ministério Público Federal), que negociou um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) com a profissional. 
Conforme o MPF, entre os meses de maio e outubro do ano passado, a médica faltou plantões e fraudou o ponto eletrônico por meio do preenchimento manual. A opção de registro manual é permitida apenas em casos de esquecimento de registro, indisponibilidade do sistema ou atividade externa. A médica fazia o preenchimento alegando esquecimento, quando, na verdade, foi constatado que ela estava em viagens fora do Estado, em Goiás.

Ainda de acordo como órgão, superiores da pediatra estavam cientes da situação e acobertavam as faltas. Na ausência dela, outros médicos cumpriam o plantão no lugar da profissional. O combinado era que a médica repassaria o valor correspondente ao tempo trabalhado por meio de transferência bancária para quem cumprisse o plantão.

A fraude foi descoberta e a profissional foi exonerada do cargo. No Termo de Ajustamento de Conduta, além de ressarcir o hospital em R$ 77,5 mil, valor que a médica recebeu sem ter trabalhado, ela também deverá entregar R$ 20 mil a uma instituição beneficente de Dourados, como multa por improbidade administrativa.