25 de novembro de 2020
Campo Grande 34º 23º

OUÇA OS ÁUDIOS

Polícia Federal começa a ser alvo de ataques coordenados nas redes

Áudios seriam fakes, segundo a PF. Trechos mostram "corrupção". Há suspeita de "fogo amigo"

Delegados da Polícia Federal investigarão publicações falsas contra a corporação. As postagens começaram na 6ªfeira (24.abril), logo depois da queda do diretor-geral Maurício Valeixo e se intensificaram ao longo do final de semana. A PF investiga a partir da regional em Pernambuco, mas deve ser ampliada em outras superintendências. Existe uma disputa de delegados e agentes que alimenta a indicação do novo diretor-geral. Há suspeitas de fogo amigo na produção das fake news.

O Poder360 teve acesso a 4 áudios que serão investigados. Em todos, há trechos com acusações sobre corrupção e conivência na PF.

Áudio 1

“Vi Moro (na TV) falar de (ingerência) em Pernambuco. Por quê? A PF aqui é corrupta. Se fosse mentira, eu seria processado”

Áudio 2

“A PF estava querendo fazer o governo e ministro de refém, o Moro perdeu a mão sobre a PF”

Áudio 3

“Bolsonaro colocou o cara da Abin. O cara da Abin é pica, já mandou a PF invadir o apartamento do Maia”

Áudio 4

“Eu sei exatamente o que acontecesse na Polícia Federal do Rio de Janeiro. Ela é toda corrompida, toda”

OUÇA ABAIXO:  

PRÓ E CONTRA BOLSONARO

Os grupos se dividem entre os que criticaram e aprovaram a queda de Valeixo. A associação dos delegados divulgou nota no domingo (26.abril) em que alerta sobre interferência. A federação dos policiais diz que não há provas de tais atos –nada que tenha sido oficializado, pelo menos – e também divulgou nota sobre as mudanças no Ministério da Justiça e na PF.

Fonte: Poder 360.