27 de novembro de 2020
Campo Grande 35º 23º

CULTURA

Prefeitura licita reforma de teatro fechado há 30 anos no Paço Municipal

Viabilizada por meio de emenda parlamentar do ex-deputado federal Luiz Henrique Mandetta

O Teatro José Octávio Guizzo do Paço Municipal na Avenida Afonso Pena, será reformado após 30 anos fechados. Com investimento de R$ 711.211,98, a Prefeitura de Campo Grande vai reformar o Teatro, por meio da emenda parlamentar do ex-deputado federal Luiz Henrique Mandetta, no valor de R$ 700 mil, com contrapartida do município do restante. 

O espaço cultural foi construído pelo então prefeito Antonio Mendes Canale (de 1963 a 1967) e inaugurado anos mais tarde pelo prefeito (1980-1982) Levy Dias.

Nesta quarta-feira (29) foi publicado o edital de licitação das obras no espaço. As empresas participantes da concorrência terão até este 3 de junho, às 9 horas, para entregar as propostas.

Segundo o secretário municipal de Cultura e Turismo, Max Freitas, após sua reinauguração, prevista ainda para este ano, o teatro deve ser palco para movimentações artísticas diversas. “Campo Grande hoje não tem nenhum teatro público em funcionamento e esse processo de reforma vem desde o ano de 2018 com o repasse da emenda do então deputado federal Mandetta. O prefeito Marquinhos Trad é um grande apoiador e entende a importância da reforma deste teatro para a Cultura de Campo Grande e Mato Grosso do Sul”, pontuou.

De acordo com o arquiteto Marcelo Silva de Oliveira, da Secretaria Municipal de infraestrutura e Serviços Público, o projeto contempla revisão e substituição de instalações elétricas, hidráulicas, adequação das escadas e rampas para garantir acessibilidade, assim como novo sistema de refrigeração e instalação de forro.

O auditório, com capacidade para 190 lugares, receberá novas poltronas e haverá substituição do carpete. O anexo será reformado e adequado para se tornar um espaço de múltiplo uso, podendo receber exposições de fotografia, artes plásticas, sediar lançamento literários.

O teatro tem localização privilegiada, na Avenida Afonso Pena, ao lado da Prefeitura Municipal.  Foi reformado algumas vezes para ações pontuais do município, mas permaneceu inoperante para sua função de origem, um espaço cultural.

Por algum tempo foi improvisado como central de atendimento dos contribuintes do IPTU, utilizado para seleção de novos concursados e atualmente serve como arquivo e guarda temporária de equipamentos e documentos.

SOBRE O ESPAÇO

Projeto do arquiteto Cyríaco Maymone Filho, construído em 1971 na gestão do então prefeito Antônio Mendes Canale, o local foi palco de grandes espetáculos. Embora tenha sido criado como anfiteatro, a partir de agosto de 1990, com sua reinauguração, o local recebeu o nome de Teatro José Octávio Guizzo.