23 de outubro de 2020
Campo Grande 33º 22º

Empresário se irrita com vereadores de Sidrolândia e é expulso da sessão

A última sessão ordinária da Câmara Municipal de Sidrolândia é marcada por polemica, tumulto e até bate-boca com homenageado. O empresário Dalto Pavei foi até o Legislativo para receber uma homenagem de autoria do vereador Cledinaldo Cotócio (PP), que propôs em plenário a outorga de uma Moção de Congratulação, em decorrência dos recentes investimentos e esforços do empresário que está viabilizando a instalação de uma faculdade na cidade. sidr O Grupo Pavei, esta investindo cerca de R$ 1 milhão na ampliação e readequação da antiga PITU Eventos, onde abrigará a FAC-SIDRO (Faculdade de Sidrolândia). Na Câmara o empresário acompanhou os trabalhos dos vereadores na deliberação da votação da Lei Orçamentaria. Confuso com os tramites do parlamento, Pavei resolveu dar um “pitaco”, do tipo; “dar uma mãozinha, agilizar os trabalhos e contribuir com o desenrolar da coisa”. “Peres, que impressão você acha que estou tendo desta confusão”, esbravejou o empresário que estava em meio à plateia formada por acadêmicos, servidores públicos e aprovados no concurso da Câmara, que estavam em protesto. David Olindo, vereador que tem sido a voz mais contundente da oposição ao prefeito naquele poder, roubou a cena e retrucou Pavei com palavras de ordem. “O senhor não é obrigado a continuar aqui. Pode ir embora, aliás, ninguém aqui o chamou”, disparou David, se esquecendo de que Pavei havia sido homenageado. Envergonhado, o empresário tentou responder o parlamentar, mas foi atulhado de frases de efeito moral. Por fim, nas entrelinhas, Olindo mandou que o homenageado fosse cuidar do seu comércio, que na Câmara quem tinha poder de ditar as regras, eram eles, os vereadores. Minutos antes, o empresário já manifestava indignação com a forma alvoroçada das deliberações plenárias. Drª Rosangela Rodrigues (PMDB) chegou a conversar com Pavei numa tentativa de explicar os trâmites legais de votação. “Muito bagunçado. Não se entende nada. Esta salada é mal temperada. Fico triste em ver que nossos representantes são despreparados e se acham os donos da verdade”, desabafou Pavei. Por outro lado, David explica que a população não pode interferir nas discussões da Câmara. Há um dispositivo no Regimento Interno do Legislativo que proíbe qualquer tipo de manifestação. “Pavei poderia se valer de um pedido de tribuna livre para expressar seu descontentamento, mas isso, só seria possível mediante solicitação por ofício endereçado a presidência da casa, dias antes”, argumenta. Região News