08 de dezembro de 2021
Campo Grande 32º 22º

HOMENAGEM | TRÊS LAGOAS

Parquinho ganha nome de menina que lutou por 3 anos contra doenças raras

Num relato em 2020, nas redes sociais, Giovana contou que para realizar um transplante que salvaria sua vida, teria antes disso que achar seu pai biológico

A- A+

Giovana Dias da Silva, de 12 anos, que morreu em 12 de setembro de 2021, após 3 anos lutando contra uma doença de Aplasia Medular e Disceratose Congênita, dará nome ao parquinho infantil instalado na Lagoa Maior, no município de Três Lagoas (MS), local onde a pequena travou sua batalha e onde vive sua família.  

Publicado no Diário Oficial dos Municípios desta segunda-feira (18.out.21), o decreto nº 336, definiu que o local de lazer se chamará Parquinho Infantil "Geovana Dias da Silva".  "O Parque Municipal Infantil instalado na circular da Lagoa Maior, localizado na Av. Aldair Rosa de Oliveira - Interlagos, CEP 79640-100, passa a denominar-se “PARQUINHO GEOVANA DIAS DA SILVA”. Art. 2º Os órgãos competentes da Prefeitura Municipal deverão promover todas as anotações e sinalizações que se fizerem necessárias para o fiel cumprimento deste Decreto. Art. 3º Este Decreto entrará em vigor na data de sua publicação", diz a determinação assinada pelo prefeito de Três Lagoas Angelo Guerreiro. A Lei é de 13 de outubro.  Veja a íntegra AQUI na página 226

Num relato em 2020, nas redes sociais, Giovana contou que para realizar um transplante que salvaria sua vida, teria antes disso que achar seu pai biológico. O MS Notícias guardou o vídeo da menina, relembre o depoimento da pequena abaixo: 

Achar o pai era a maior probabilidade de ter a doação de medula compatível, porém, não era única opção. Depois de muito procurar pelo pai, sem êxito, Giovana decidiu buscar um doador compatível fora da família, a opção era igualmente bem difícil, 1 em cada 100 mil, em dezembro de 2020, no entanto, o médico de Araçatuba (SP), que tratava Giovana enviou a notícia de que teria encontrado um doador 90% compatível. Aquela era a esperança da pequena.  

Geovana fez duas cirurgias para receber a medula, sendo que o corpo da menina rejeitou a medula do primeiro transplante e, após o segundo procedimento, ela sofreu um  Acidente Vascular Cerebral (AVC) e precisou ser internada. Geovana faleceu dia 12 de setembro deste ano.

O prefeito comentou que esta homenagem é uma forma de enaltecer a luta, a coragem e a fé da menina pela vida. "Tão pequena e tão gigante na sua busca pela recuperação, a Geovana nos ensinou muito, mesmo sendo uma criança. O sorriso dela mesmo numa situação crítica de saúde sensibilizou a todos e gerou diversas correntes de oração pela vida dela. Uma justa homenagem", disse.