20 de janeiro de 2021
Campo Grande 30º 21º

Rede de água pode comprometer vida de figueiras

  As figueiras plantadas há mais de cinquenta anos no prolongamento da Avenida Presidente Vargas, na saída para Itaporã correm o risco de morrer. A denúncia foi feita pelo empresário e ambientalista Paulo Sérgio Fernandes Rosas, um dos líderes do movimento que em 2010 conseguiu que a Câmara Municipal aprovasse uma Lei que tombou para o patrimônio público as figueiras. Paulo Sérgio disse que ao passar em frente às figueiras na manhã de ontem observou que máquinas de uma empreiteira estão cavando um buraco fundo e largo para a colocação de canos de água e esgoto. “Esta obra pode comprometer as raízes das figueiras”, disse o empresário que já acionou o a Promotoria do Meio Ambiente e o IMAM (Instituto Municipal de Meio Ambiente de Dourados) para que alguma providência seja tomada para impedir que a obra continue para evitar a morte das árvores. Em junho de 2010 um projeto de lei de autoriza do então vereador Junior Teixeira transformou em patrimônio histórico do município as duas árvores da espécie Figueira que corriam o risco de ser derrubados por causas das obras de duplicação da rodovia MS 156 que dá acesso à cidade de Itaporã. O tombamento foi resultado de uma luta dos ambientalistas que agora estão preocupados com a vida delas. Nicanor Coelho, de Dourados