22 de janeiro de 2021
Campo Grande 30º 20º

Manifestantes depredam Ceagesp em protesto contra cobrança de estacionamento

Manifestantes contrários à cobrança de estacionamento na Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais do Estado de São Paulo (Ceagesp), na Avenida Dr. Gastão Vidigal, Vila Leopoldina, zona oeste de São Paulo, promoveram uma onda de depredação no local entre a manhã e a tarde desta sexta-feira, 14. De acordo com trabalhadores e pessoas que estão na manifestação, houve tiros e ao menos uma pessoa teria sido atingida quando um grupo tentou entrar em um prédio administrativo.

"Os vigias estavam guardando o prédio e os manifestantes pediram pra eles saírem. Como eles não atenderam, começaram a atacar pedras e os guardas atiraram em um menino na barriga", disse o vendedor Rodrigo Mendes, de 24 anos, que trabalha no local.

Segundo a Polícia Militar, o pátio do entreposto foi invadido às 11h15 por cerca de 100 pessoas. Um grupo ateou fogo em caixas de frutas, cabines de fiscalização, caçambas, um armazém,  um carro e em ao menos um caminhão no pátio do entreposto. Dois prédios, que seriam da administração, segundo funcionários, também foram incendiados -  um deles seria depósito de arquivos e documentos da companhia.

O ato começou por volta das 10h e chegou a reunir 300 pessoas, segundo a PM. Os manifestantes impediram a passagem no portão 3, um dos principais acessos e dificultaram o trânsito na região.  Às 12h10, o grupo ocupava duas faixas da Gastão no sentido Pinheiros e a recomendação da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) é evitar a região.

O Batalhão de Choque chegou ao local às 12h47 e se retirou por volta das 14h, quando a situação estava controlada. Ao menos dez bombas foram lançadas para abrir caminho e os manifestantes se dispersaram. Alguns ainda atacaram frutas na tropa antes de correr.

Segundo o coronel Mauro Lopes, porta-voz da PM, já havia viaturas no local, mas os policiais não partiram para o combate porque a situação fugiu do controle e seria necessário reforço.

Cinco viaturas e 20 homens do Corpo de Bombeiros também estão no local desde o12h33, informou o tenente Vale. Ele relatou dificuldades para entrar no pátio, por causa da falta de segurança.

A Marginal do Pinheiros somava cerca de 1 quilômetro de congestionamento nas proximidades da Ceagesp, entre a Avenida Alexandre Mackenzie e a Ponte do Jaguaré.

Tarifa. A cobrança de estacionamento no Ceagesp, maior entreposto comercial de alimentos da América Latina, começou nesta quinta-feira, 13, e desagradou comerciantes e frequentadores. Pelas novas regras, a permanência de automóveis e utilitários por uma hora será de R$ 6. A taxa aumenta progressivamente até R$ 50, acima de 10 horas. Motos pagam uma diária de R$ 2.

Caminhões de 2 eixos terão tarifa de R$ 4 para até 4 horas, com o máximo de R$ 50 acima de 10 horas. As tarifas de caminhões de três a seis eixos começam em R$ 5, para 4 horas, e vão até R$ 60, acima de 10 horas. Aos sábados e domingos, o preço único para quem vai ao Varejão é de R$ 4.

A Ceagesp argumenta que a cobrança visa financiar a modernização da unidade, além de "disciplinar" o fluxo de veículos, evitando que caminhões ocupem vagas por dias.

Agência Estado