04 de agosto de 2021
Campo Grande 28º 14º

Ação educativa na Júlio de Castilho vai até 19 de maio

A- A+

A partir do dia 20 de maio, todos os motoristas que estacionarem seus veículos na avenida Júlio de Castilho, poderão ser multados no período que compreende o horário das 6h às 10h e das 16h às 19h. As multas serão aplicadas pelos agentes da Agetran (Agência Municipal de Trânsito). No início deste mês, esse agentes tem orientado os motoristas sobre as novas regras de estacionamento na avenida. Apesar desse trabalho de conscientização e da instalação de placas ao longo da avenida, na última segunda-feira, foram  contabilizados 50 veículos estacionados no horário de proibição.  Conforme acordo firmado com os comerciantes da região da avenida, durante 90 dias, será permitido o estacionamento na avenida no horário que compreende entre 10h e 16h. Nesses três meses será feito um acompanhamento do impacto desta medida sobre o fluxo de veículos e, principalmente, se haverá algum prejuízo para o transporte coletivo.  Está sendo avaliado, sobretudo, o tempo de duração do trajeto de ida e volta dos ônibus entre a Cabeça de Boi e o terminal. Conforme os técnicos da agência municipal, caso fique demonstrado que o estacionamento gera congestionamento e atrasa a circulação dos ônibus, será restabelecido o projeto inicial de proibir estacionamento na avenida. Segundo o diretor-presidente da Agetran, Jean Saliba, a Júlio de Castilho é uma via rápida que não comporta estacionamento, assim como a avenida Eduardo Elias Zahran. Outra característica do trânsito na Júlio de Castilho é a proibição de conversão à esquerda. Os motoristas terão de recorrer às vias de acesso, percurso que tecnicamente é chamado de laço de quadra, para fazer o trajeto. Nesta semana, deve ser concluído o recapeamento das últimas três vias. A revitalização da avenida Júlio de Castilho foi iniciada em 22 de agosto de 2011. Do montante da verba para as obras, 5% vieram do Pró-Transporte e 95% do BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento), totalizando R$ 18 milhões. Foram executados 13,6 km de calçadas com piso tátil; instalados 38 abrigos de ônibus; refeito o pavimento da via em toda a sua extensão (6,8 km); implantados 3,3 km de drenagem e recuperados 9,7 quilômetros de vias que servirão de alça. Foi feito o realinhamento do eixo da via; criação do canteiro central e nova iluminação pública. Tayná Biazus