05 de dezembro de 2020
Campo Grande 30º 24º

BUZINAÇO

"Deveriam doar cestas básicas aos funcionários", diz Marquinhos

Prefeito respondeu à grupo de empresários que fizeram carreata nessa tarde (6ª feira) pedindo fim da quarentena

O prefeito Marquinhos Trad, respondeu ao manifesto de empresários, que percoreram com seus veículos pela Avenida Afonso Pena na tarde dessa sexta-feira (27.março), em Campo Grande, fazendo 'buzinaço' revoltados com decreto do Prefeito, que visando proteger a saúde Pública, decretou quarentena Capital devido ao avanço do coronavírus no páis. Marquinhos orientou, que seria mais proveitoso, eles ajudarem. “Em vez de fazer carreata, deveriam economizar o dinheiro da gasolina para comprar e doar cestas básicas aos funcionários”, disse o prefeito sobre o ato convocado para às 14h.

A manifestação realizada por empresários saiu da frente do Aeroporto Internacional e seguiria até o Paço Municipal. Mas a prefeitura realizou bloqueio na Avenida Afonso Pena, com isso, os carros formaram congestionamento na região central. Buzinando muito, os manifestantes chamaram o bloqueio de "antidemocrático", conforme o Campo Grande News. 

O grupo de empresários é contra as medidas restritivas adotadas pela administração municipal para impedir o avanço da pandemia de coronavírus em Campo Grande. Eles solicitam a abertura imediata de todos os setores. Não foi possível apurar quantas pessoas participaram do manifesto. Alguns veículos apontaram entre 300 e 350 participantes, no entanto, não souberam informar se todos os veículos eram parte da manifestação ou apenas trafegavam pela via.  

Dono de 4 revendas de veículos na Capital, o comerciante Geandro Esbardelotto defendeu a reabertura das lojas. Segundo ele, pelo menos, das 9 horas às 15h. Intercalando a equipe de trabalho. “Aqui é diferente da Itália, a começar pelo clima”, argumentou citando o país onde já morreram mais de 9 mil pessoas desde o início da pandemia.

Segundo o prefeito, o bloqueio na Afonso Pena ocorreu de forma preventiva. "Fizemos em decorrência do Hospital El Kadri, para tentar impedir poluição sonora contra os pacientes que lá estão. Também temos ali o Instituto dos Cegos. Só mudamos a rota para preservar as duas instituições", justificou.

Fonte: Campo Grande News.