17 de janeiro de 2021
Campo Grande 26º 23º

Base e oposição se unem para derrubar vetos de Bernal

Os vereadores voltaram a criticar os vetos do prefeito de Campo Grande Alcides Bernal (PP) em relação a mais de 70 projetos do legislativo. Segundo a vereadora Rose Modesto (PSDB),  além dos vereadores, estudantes universitários da Capital também estão se mobilizando para protestar caso o veto do Bolsa Universitário não seja derrubado pela Câmara. page De acordo com a vereadora, o projeto não deveria ser vetado pois ele apenas é um instrumento para cumprir e aplicar uma lei que já existe. "Soube que vários DCEs (Diretório Central de Estudantes) de diversos cursos estão se organizando para fazer uma mobilização, afinal são R$ 3,5 milhões que os estudantes estão perdendo", explica. Outro veto de Bernal questionado pela vereadora é acerca do projeto de asfaltamento das ruas do bairro Aero Racnho  - região sul de Campo Grande . "As pessoas do bairro estão esperando há 30 anos por este asfalto. O Bernal disse que ia fazer diferente, mas a situação está pior do que era antes", afirma. Rose também observou que a prefeitura tem sido negligente em relação à limpeza das escolas municipais. "Vejo os Ceinfs (Centro de Educação infantil) e estão todos cheios de mato, as crianças vão voltar para aulas no meio do mato". Já o vereador Carlão (PSB), recém integrado à base governista, destaca que Bernal contrariou seus próprios argumentos ao vetar muitos projetos. "O prefeito alegou que vetos foram em razão da economia para não gerar mais custos para o município. Então por que vetar o projeto que regulariza as casas do município? Muita gente tem casa, quer pagar o IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) o que vai gerar recurso para prefeitura e ele vetou. Não faz sentido", afirma o vereador. Carlão acrescentou que Bernal precisa colocar em prática o que diz. "Essa harmonia que o prefeito falou tem que ir para prática, não pode ficar só na fala", afirma. Até mesmo o vereador Zeca do PT, da base de Bernal, se diz contrário aos vetos em massa. "Acho que o prefeito cometeu um equívoco que não contribui para aproximar os vereadores. Ele vetou, por exemplo, a proposta de construção de casas populares no bairro Dom Antonio Barbosa, quer projeto mais social que este?" Já o presidente da Casa, Mario Cesar (PMDB) afirmou que ainda não leu os vetos, mas que discorda do prefeito, pois muitas emendas apenas retiravam recursos de uma área para outras. "Não havia acréscimo de gasto na maiorias da emendas", afirma Mario. O presidente da Cara garantiu que hoje ainda os vetos serão encaminhados para Comissão Permanente de Orçamento e Fianças para que até o final do mês sejam votados pelos vereadores. Heloísa Lazarini e Diana Christie