27 de outubro de 2020
Campo Grande 28º 22º

Bernal vai ao CNJ denunciar desembargador que concedeu liminar à Câmara

O prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP), irá protocolar, na próxima segunda-feira, junto ao CNJ (Conselho Nacional de Justiça) uma reclamação referente ao desembargador Luiz Tadeu Barbosa que, na madrugada da última quinta-feira, concedeu liminar à Câmara de Vereadores permitindo que a Comissão Processante continuasse com as oitivas.Segundo o prefeito, existem diversos indícios de irregularidades na forma como a liminar foi concedida. “É estranho um juiz substituto que até pouco tempo atrás era advogado tomar uma decisão séria como essa na calada da noite, de madrugada, derrubando a decisão anterior de um juiz de carreira que adotou analisou durante dois dias o pedido”, questiona Bernal. O prefeito conta que durante sua visita ao CNJ em Brasília, na tarde de ontem, ele explicou a situação aos magistrados, que, segundo Bernal, ficaram estarrecidos com o caso. “Depois que contei a eles toda situação política de Campo Grande e falei sobre a liminar, concedida de madrugada, fui orientado a tomar as medidas legais cabíveis neste caso em relação ao desembargador”, explica. Além de questionar a conduta do desembargador Luiz Tadeu Barbosa, Bernal levanta dúvidas sobre o sorteio promovido pelo TJ (Tribunal de Justiça) de Mato Grosso do Sul, em que o desembargador João Maria Lós, que, desde ontem está viajando pelo interior do Estado a serviço do TRE (Tribunal Regional Eleitoral), e deve retornar à Capital apenas na segunda-feira, no final do dia, ou seja, depois da oitiva em que Bernal será ouvido. Lós atua como juiz substituto do órgão. “Isso é mais um indício claro de que há uma manobra para me afastar e me cassar. Está mais que comprovado que a Comissão Processante é resultado de uma fraude, baseada em uma denúncia fraudulenta de Raimundo Nonato e Luiz Pedro Guimarães, que na campanha de 2012 trabalharam na campanha de meu adversário Edson Giroto, e que hoje se associaram a um grupo político que quer me retirar do poder”, afirma Bernal. O prefeito reiterou que não foi constatada até o momento nenhuma irregularidade em relação a sua administração. Para Bernal, os membros da Processante “estão procurando pelo em ovo”. Bernal acusa os vereadores de trabalharem em benefício próprio. “O Alceu Bueno, por exemplo, está sendo processado pela prefeitura por ocupar ilegalmente uma área pública. O Edil era vice-prefeito da antiga administração e o relato, Flávio Cézar, também é ligado a esse mesmo grupo político que quer o meu impeachment sem causa justa, sem motivo. Aliás, o único motivo aparente é a politicagem”. Heloísa Lazarini