02 de dezembro de 2021
Campo Grande 30º 22º

Carla Stephanini critica administração de Bernal por não pagar funcionários da prefeitura

A- A+

A vereadora Carla Stephanini (PMDB) criticou hoje a administração do prefeito de Campo Grande Alcides Bernal (PP) devido ao atraso no pagamento do servidores públicos municipais, que deveria ter sido efetuado ontem. "Em 16 anos de administração do PMDB, nunca houve atraso de pagamentos dos servidores municipais", afirma Carla.

Carla Stephanini

Carla e Bernal desde ontem, na primeira sessão do ano da Câmara de Vereadores, deram sinais claros de que o clima de rivalidade e tensão entre Bernal e vereadores da oposição, em especial do PMDB, não irá desaparecer em 2014 e tudo indica que o ano pode ser conturbado como foi ano passado. Ontem o prefeito fez diversas críticas ao ex-prefeito do PMDB, Nelsinho Trad Filho, insinuando que Nelsinho usava os Ceinfs (Centro de Educação infantil) como instrumento político. Carla não gostou e rebateu.

Hoje, a vereadora chegou à Câmara e logo no início da sessão conversou com a imprensa sobre o erro cometido pela administração de Bernal que acarretou no bloqueio das constas da prefeitura e está impedindo que o executivo municipal pague o salário dos funcionários. " Falta um olhar atento para cotidiano da administração, ontem disseram (Bernal) que esta administração segue as normas que regem a administração pública, mas este episódio demonstrou que a administração atual pulou este capítulo, o que ensejou o bloqueio da conta da prefeitura e atrasou o pagamento dos funcionários", criticou Carla.

Em tom mais ameno, o vereador Paulo Siufi (PMDB), que continua dizendo não ser da base porque pretende concorrer a deputado estadual pelo seu partido, afirmou que não se pode ainda entrar neste assunto, pois por lei, a prefeitura possui até o 5° dia útil, que será dia 7 deste mês, para efetuar o pagamento de seus funcionários. "Prefiro não falar nada sobre isso ainda, pois a prefeitura tem prazo até o 5° dia útil para pagar os funcionários", afirma Siufi.

O erro a que Carla se refere foi cometido por uma funcionária da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) que efetuou um pagamento de precatório, no valor de R$ 16 mil antes de outros débitos, por isso o TJ-MS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) determinou o bloqueio das contas.

Heloisa Lazarini e Diana Christie