17 de janeiro de 2021
Campo Grande 26º 23º

Chocolate afirma que Bernal pode perder mandato e cargo de presidente do PP

O prefeito de Campo grande Alcides Bernal (PP) pode perder não só o mandato como também a direção do PP (Partido Progressista). Segundo o vereador Chocolate (PP) ao perder seus direitos políticos, Bernal deverá automaticamente deixar a direção do partido e quem deve assumir, por uma questão de hierarquia partidária, segundo o vereador, é o vice-prefeito Gilmar Olarte. Chocolate, além de aterrorizar Bernal com esta perspectiva, faz questão de manter o mistério sobre seu voto, mas garante que desta vez não foi procurado pela base do prefeito. " Até agora não sofri nenhum pressão como sofri da outra vez nem me procuraram". Chocolate afirma que irá votar de acordo com sua consciência, assim como fez no dia em que votou a favor da abertura da Comissão Processante. Segundo o vereador, mesmo que o partido o peça para votar a]pela não cassação de bernal, ele não se deixará influenciar e irá decidir por conta própria. " Vou seguir a minha consciência. Bernal já me chamou de  traidor, mas a única coisa que fiz foi discordar dele. Até de burro ele já me chamou, mas não sou empregado dele", desabafa Chocolate.Enquanto vereadores mantém mistério, simpatizantes de Bernal vão à Câmara para acompanhar processo de julgamento  Cerca de 100 pessoas ocuparam o prédio da Câmara de Vereadores nesta anhã para protestar contra a possível cassação do prefeito Alcides Bernal (PP). Segundo a produtora rural, Val Vieira, 44, integrante do MAF (Movimento da Agricultura Familiar) , eles querem acompanhar o processo de julgamento do prefeito desde hoje e ela explica que eles estarão amanhã desde cedo na Câmara para ver de perto o resultado da votação. Val fez questão de afirmar que todos os presentes se deslocaram até à Câmara com recursos próprios e com condução locada por eles, ao contrário do que aconteceu nas últimas manifestações em que ficou comprovado que a prefeitura locou ônibus para levar os simpatizantes pró-Bernal à Casa de Leis. Heloísa Lazarini e Diana Christie