22 de abril de 2021
Campo Grande 29º 18º

Eleições 2016

Coligação põe sob suspeita pesquisa pró-PMDB em Ribas do Rio Pardo

A- A+

Pesquisa realizada pelo Instituto Ipems para aferir a intenção de voto dos eleitores e publicada com informações que beneficiam o candidato do PMDB, Paulo Tucura, está sob suspeita de ter sido manipulada. A coligação "A Força do Trabalho", do candidato João Pegolo, encontrou várias irregularidades indicando "desobediência frontal à lei" e ajuizou um pedido de impugnação para proibir a divulgação da pesquisa e aplicar as penalidades cabíveis previstas na legislação.

Essa pesquisa - que tem o protocolo MS-00723/2016 - é uma das 97 que já levaram o instituto a responder ações judiciais contestando a lisura da amostragem. Em seu conteúdo, de acordo com os advogados da coligação reclamante, constata-se a existência de falhas grosseiras, desde a falta de provas materiais de sua realização e de documentos elementares exigidos na lei. 

Diante disso, o juiz eleitoral concedeu liminar ao pedido da coligação e determinou ao Ipems que apresentasse toda a documentação que instruiu o pedido de registro, inclusive os questionários das entrevistas supostamente realizadas pelo instituto. No entanto, mesmo tendo recebido a intimação o Ipems não atendeu a ordem judicial e não cumpriu a obrigação. 

Essa desobediência reforça a suspeita sobre a fabricação de dados que, sem refletir a verdade, podem exercer influência no voto do eleitor e contaminar o processo eleitoral, ferindo a igualdade que deve existir entre os candidatos. 

Os advogados da coligação lembram de outra situação que justifica as suspeitas: além das 97 demandas judiciais em que foi acionado desde 2012, o instituto já teve este ano pesquisas questionadas na Justiça em 17 ações, sendo três em Corumbá, duas em Dourados, sete em Porto Murtinho, duas em Chapadão do Sul, duas em Ponta Porã e uma em Ribas do Rio Pardo.