01 de outubro de 2020
Campo Grande 41º 24º

Com entrega de documento sobre privatização de rodovias, Mochi espera que votação seja rápida

Com a entrega do relatório detalhado sobre o projeto que prevê a privatização de 11 rodovias estaduais, o deputado Junior Mochi (PMDB), que também é líder do governo na Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, espera ver o projeto aprovado ainda este mês. "Este projeto é de extrema importância para a população, por isso os deputados devem votar, pois trará benefício para população", afirma Mochi. O deputado explicou que o único entrave para a aprovação do projeto era o posicionamento da banca dado PT (Partido dos Trabalhadores), que é de oposição ao governo. Mocchi-1 Segundo Mochi, os petistas haviam dito que só votariam o projeto depois de lerem o relatório do projeto produzido pelo secretário estadual de obras Edson Giroto. O deputado estadual Amarildo Cruz (PT) criticou o secretário na última semana devido ao atraso na entrega do documento. Amarildo afirmou que Giroto prometia  e não cumpria e que enquanto não tivesse em mãos o documento nem comentaria sobre o assunto. Hoje pela manhã, durante sessão da Assembleia, Mochi entregou pessoalmente o documento a cada um dos deputados e explicou que recebeu as cópias do projeto na última sexta-feria. "Agora que eles têm o documento em mãos espero que entendam a importância do projeto e o aprovem", afirma Mochi. O projeto, encaminhado pelo governo do estado no início do ano legislativo, prevê a privatização de 11 rodovias estaduais. De acordo com informações do secretário estadual de obras, Edson Giroto, serão concedidas á iniciativa privadas as rodovias: MS-040, MS-112, MS-135, MS-180, MS-223, MS-298, MS-295, MS-306, MS-316, MS-338 e MS-395. O projeto prevê a permanência das rodovias sob regime privado durante 30 anos. O valor do pedágio que será cobrado ainda não foi determinado, mas segundo o secretário de obras do Estado, deverá ser semelhante ao valor de pedágio do trecho estadual da BR-163, que será de R$ 4,38. Assim como consta no termo de concessão do trecho sul-mato-grossense da BR-163, as empresas que detiverem o direito sobre as rodovias estaduais deverão reestruturar as rodovias e em alguns casos duplicá-las. O projeto prevê a concessão por lotes. Ao todo são três lotes: lote 1, composto pelas MS-135, 306,112, 223 e 316; lote 2, composto pelas MS-040 e parte da MS-395 e 338; e o lote 3, formado pela MS-180 e um trecho da 295. Heloísa Lazarini e Dany Nascimento