05 de agosto de 2020
Campo Grande 31º 16º

CPI da Saúde ouvirá diretor-geral do HU de Dourados e presidente do Conselho de Enfermagem

Diana Christie com assessoria

A próxima oitiva da CPI (Comissão Parlamentar de inquérito) da Saúde da Assembleia Legislativa ouvirá o diretor geral do Hospital Universitário de Dourados, Edson Desiderio Fernandes, e a Presidente do Conselho Regional de Enfermagem de Mato Grosso do Sul, Amarilis Pereira Amaral Scudellari.

A oitiva que aconteceria nessa sexta-feira teve que ser adiada para a segunda-feira devido a incompatibilidade de agenda dos depoentes.Ela acontecerá a partir das 14h, na Assembleia Legislativa, em Campo Grande.

De acordo com o deputado estadual, Amarildo Cruz, o presidente do HU foi convidado a depor por causa do grande número de reclamações de falta de atendimento numa das mais importantes cidades do interior do Estado. Amarilis Scudellari foi convocada por representar uma categoria de profissionais importante para o funcionamento das unidades de saúde.

CPI da Saúde em MS

A CPI foi criada no dia 23 de maio deste ano para apurar irregularidades nos repasses de recursos do SUS para as unidades hospitalares de Campo Grande, Corumbá, Paranaíba, Dourados, Três Lagoas, Jardim, Coxim, Aquidauana, Nova Andradina, Ponta Porã e Naviraí, nos últimos cinco anos. A comissão é composta pelos deputados Amarildo Cruz (PT), Lauro Davi (PSB), Junior Mochi (PMDB), Eduardo Rocha (PMDB) e Onevan de Matos (PSDB).

A Comissão Parlamentar de Inquérito tem 120 dias para apurar as possíveis irregularidades, podendo ser prorrogada por mais dois meses. Já foram ouvidos a ex-secretária estadual de Saúde, Beatriz Dobashi, o secretário municipal de Saúde de Campo Grande, Ivandro Fonseca, o presidente da Santa Casa da Capital, Wilson Teslenco, os ex-diretores do Hospital Universitário, José Carlos Dorsa, o do Hospital Regional de Campo Grande, Ronaldo Perches Queiroz,o ex-secretário municipal de saúde da capital, Leandro Mazina, o presidente do Conselho Regional de Medicina do Estado de Mato Grosso do Sul, Luís Henrique Mascarenhas Moreira, e os médicos Os médicos Adalberto Siufi e Cláudio Wanderley Saab, ex-diretor do Hospital do Câncer e o atual diretor-geral do Hospital Universitário, respectivamente.

Também foram ouvidos pelos parlamentares os ex-integrantes da Junta Interventora da Santa Casa de Campo Grande, Antonio Lastória, Nilo Sérgio Laureano Leme e Issan Moussa, o diretor-presidente do Hospital do Câncer, Carlos Alberto Moraes Coimbra, o ex-presidente do Conselho Estadual de Saúde, Florêncio Garcia, o diretor-presidente do Instituto Municipal de Tecnologia da Informação da Prefeitura de Campo Grande, Luiz Alberto de Oliveira Azevedo, o ex-responsável pela pasta, João Mitumassa Yamaura, o Diretor-presidente do Consórcio Telemídia e Technology International, Naim Alfredo Beydoun, o Presidente do Conselho Estadual de Saúde, Alexandre Correa Bueno, o prefeito de Naviraí, Leandro Peres de Matos e o Presidente do Conselho de Secretários Municipais de Saúde de Mato Grosso do Sul, Frederico Marcondes Neto além de gestores e conselheiros municipais de saúde nas cidades de Dourados, Coxim, Aquidauana, Jardim, Paranaíba, Três Lagoas, Naviraí, Nova Andradina, Ponta Porã e Corumbá.