27 de novembro de 2020
Campo Grande 35º 23º

Depois de caso Luana, audiência pública vai discutir a segurança nas escolas

Diana Christie

Deputados promovem audiência pública para debater a segurança nas escolas na próxima segunda-feira, às 9h, na Assembleia Legislativa. “Precisamos saber como anda essa segurança interna. Como está o efetivo de pessoal, as condições de trabalho. Se os agentes patrimoniais tem equipamentos. Se eles podem prestar serviços externos”, explica o deputado Cabo Almi (PT).

A audiência acontece depois que Luana Vieira Gregório, uma jovem de 15 anos, foi morta com uma facada numa briga em frente a uma escola na Vila Bordon. “Uma vida foi ceifada. De uma jovem em sua plenitude, na flor da idade. Se houvessem policiamentos ostensivos, a tragédia poderia ser evitada”, defende Almi.

O deputado Laerte Tetila falou também da importância da “cultura da paz”. Segundo ele, as escolas ensinam todos os tipos de guerra, mas possuem poucas ações de incentivo a paz. O deputado afirma que é preciso “refinar o relacionamento humano” a fim de aproximar as pessoas e incentivar o convívio em harmonia.

A presidente da Comissão de Educação, Cultura, Desporto, Ciência e Tecnologia, deputada Mara Caseiro (PT do B) aproveitou a oportunidade para informar que a comissão também irá se reunir na semana que vem para discutir o tema. “Espero que a audiência possa nos trazer propostas para serem discutidas pela comissão”, afirmou.

Mara sugere a implantação de uma equipe multidisciplinar, contendo psicólogo e assistente social, nas escolas para que, além do reforço policial para a segurança dos estudantes, seja trabalhada a consciência dos alunos e incentive a participação da família na educação de seus filhos. Endossando a proposta de Mara, deputado professor Rinaldo (PSDB) concluiu: “a escola ajuda, mas a educação de verdade acontece em casa. A família precisa ser estruturada”.