03 de agosto de 2020
Campo Grande 31º 18º

Deputado Marçal Filho pega "carona" e quer usar luta pelo Hospital Regional de Dourados para tentar

O ser humano vive de sonhos. A possibilidade de realizar aquilo que foi idealizado é a matéria que garante a existência do futuro. Na política os sonhos transformam-se em bandeiras de luta e os políticos empunham estas bandeiras em benefício de uma causa popular no afã de continuar tendo sucesso nas urnas.

Artuzi sonhou o sonho dos douradenses com a Perimetral Norte e agora com a Avenida Guaicurus e Puccinelli e assim por diante.  Mas existem aquelas pessoas e até políticos que se apropriam de sonhos alheios como se fossem seus. Mas isso não é ruim, pois como já disse Raul Seixas “sonho que se sonha só, é só um sonho que se sonha só, mas sonho que se sonha junto é realidade”.

O sonho da população dos municípios da região a Grande Dourados em ter um grande Hospital Regional está se tornando real. É um sonho que está sendo sonhado junto. Primeiramente o médico e deputado estadual George Takimoto viu que povo sonhava em uma saúde com mais qualidade usou em lutar pela construção do Hospital Regional da Grande Dourados. Colocou uma mega emenda no orçamento do Governo do Estado e depois convenceu o governador Puccinelli que “comprou a ideia”.

Tornou-se um sonho do povo, do médico deputado e do governador. Depois veio o empresário Adão Parizotto e entrou na briga: doou uma área de 5 hectares para a construção do hospital. E o Hospital será construído. O governador se comprometeu a realizar a obra. Dinheiro para isso já tem.

Até então nenhum dos atores deste sonho se adonou do “sonho” e muito menos trouxe para si a paternidade ou maternidade do Hospital.  Com o verde da esperança o deputado federal Marçal Filho manda colocar grandes placas dizendo o Hospital é uma “ação” dele dando a ideia de que o “sonho” é apenas dele e de ninguém mais.

Ao contrário de Marçal, o médico Takimoto e o empresário Adão transitam em outros caminhos para de fato conseguir tornar o sonho real, sem a necessidade de exames de “DNA” para detectar a genética do sonho.  Ao pegar carona no Hospital Regional, o deputado Marçal demonstra que está na contramão da história e isso pode ser apenas o prelúdio de uma guerra eleitoral em 2014. É bom deixar o sonho ser sonhado junto, com a participação de todos.

Nicanor Coelho, de Dourados