11 de maio de 2021
Campo Grande 34º 18º

Edil espera que veto de projeto Ceinfs nas Férias seja derrubado hoje

A- A+

Será votado hoje o veto do prefeito Alcides Bernal (PP) sobre o projeto de lei de autoria do vereador Edil Albuquerque (PMDB) que institui o funcionamento contínuos dos Ceinfs (Centro de Educação infantil) de Campo Grande durante o período de férias escolares. o projeto foi aprovado em 17 de dezembro de 2013 e vetado por Bernal em 15 de janeiro de 2014. A alegação do prefeito, na época, foi que não havia necessidade de manter todos os Ceifns abertos uma vez que a prefeitura havia instituído o projeto Brincando nas Férias. Esse projeto do executivo é similar ao projeto de lei do vereador Edil, pois a prefeitura manteve aberto durante o mês de janeiro 11 Ceinfs me pontos estratégicos da Capital para atender cerca de duas mil crianças. A ação não convenceu o vereador que defende a derrubada do veto. Segundo Edil, ao criar o Brincando nas Férias, Bernal reconhece publicamente a importância e a necessidade de seu projeto de lei. "Se o prefeito tem intenção de manter crescimento de emptegos e assegurar ascendência da mulher, ele não vetaria um projeto desses. Mães solteiras, mulheres divorciadas e até mesmo mulheres casadas que trabalham para somar à renda do marido não têm com quem deixar seus filhos durante as férias, pois é muito difícil as férias das mães e pais coincidirem com as férias das crianças", explica. Edil explica que o projeto prevê ainda que os funcionários trabalhem nos Ceinfs em regime de escala, ou seja, quem trabalhasse no mês de julho não trabalharia em dezembro. Outro argumento do prefeito rebatido por Edil é em relação á falta de efetivo. "A maioria dos funcionários dos Ceinfs são comissionados, portanto, baste fazer uma escala e outra a prefeitura tem condições de contratar funcionários temporários apenas para este período", afirma. Para finalizar, o vereador avalia que o prefeito, em especial sua equipe, não está lendo ou não está dando atenção às propostas do legislativo. "Entendo até que está sendo feito por algum assessor que não tem compromisso político e social com  a população". Heloísa Lazarini e Diana Christie