02 de dezembro de 2020
Campo Grande 33º 23º

Edil garante ter argumentos suficientes para derrubar veto a projeto que coloca Ceinf em funcionamen

O vereador Edil Albuquerque (PMDB) informou hoje pela manhã que pretende derrubar o veto do prefeito de  Campo Grande, Alcides Bernal (PP), em relação ao projeto de lei, de sua autoria, aprovado em 17 de dezembro de 2013 pela Câmara de Vereadores. O projeto prevê a abertura dos Ceinfs (Centro de Educação Infantil) durante o período de férias escolares, em janeiro e julho, para que as mães que trabalham tenham a possibilidade de manter seus filhos na escola durante o recesso, e com isso, não percam seu emprego. EDIL (3) O projeto, segundo Edil, foi escrito a partir de seu contato com mulheres que trabalham no setor industrial, durante o período em que foi titular da Sedesc (Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico) na gestão do ex-prefeito Nelson Trad Filho (PMDB), entre 2008 e 2012. "Nessa época conviva muito com mulheres que atuavam no setor têxtil e a maioria delas eram mães solteiras e enfrentavam dificuldades para encontrar alguém que pudesse ficar com seus filhos durante as férias, pois fábricas e indústrias dificilmente entram em recesso em janeiro e julho", explica Edil. Em relação à justificativa de Bernal que embasou o veto, Edil foi categórico e garantiu que é uma alegação sem nexo. De acordo com veto, o período de férias escolares é fundamental para estimular a convivência da criança com a família. "O projeto não obriga a criança a ir para escola, e é claro que seria bom as crianças ficarem com a família, mas e as mães que precisam trabalhar para ajudar a complementar a renda familiar? E as mães solteiras?", questiona Edil. O vereador ressaltou que o executivo, não só municipal, mas também nacional, precisa investir mais educação, até porque agora com aprovação da destinação dos recursos do pré-sal para educação (serão 75% do valor arrecadado), haverá mais verba para este fim. "O poder público com a gama de recursos que arrecada, como é o caso agora do pré-sal, tem que priorizar investimentos que atendam as vontades e necessidades da população, afinal, esse dinheiro é do povo", observou o vereador. Heloísa Lazarini