25 de setembro de 2020
Campo Grande 36º 22º

PONTA PORÃ

Hélio Peluffo diz que investe em merenda mais do que recebe da União

Prefeitura falou sobre a ida da Polícia Federal ao Paço Municipal em busca de documentos; "Documentos públicos, acessíveis aos órgãos de controle", diz administração

A Polícia Federal e a Controladoria Geral da União (CGU) foram nesta quinta-feira (6) há Ponta Porã, com 80 agentes da PF e servidores da CGU, apoiados do Exército, cumprirem 28 mandados da Operação Tembi’u, que investiga suspeita de fraude em licitações do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), um dos suspeitos, prefeito do município, Hélio Peluffo, que recebe o segundo maior salário pago em MS, ganha R$ 24.117,62, mais do que vários governadores brasileiros, enviou nota dizendo que a prefeitura de Ponta Porã tem que tirar dinheiro do Bolso para oferecer merenda de qualidade. 

Ainda segundo a administração do município, a busca feita no Paço Municipal foi por documentos públicos, acessíveis aos órgãos de controle e a qualquer cidadão interessado.

A note ainda provoca. “Até onde sabemos, a investigação analisa uma licitação de merenda escolar de 2016, gestão que não era da nossa responsabilidade, e também de 2017, ano em que assumimos a Prefeitura”, defendeu.

Conforme a prefeitura, o contrato com a empresa investigada na operação,  foi rescindido em 2017 e desde lá s Prefeitura vem investindo sistematicamente para garantir aos alunos alimentos de qualidade e elevado teor nutricional.

A Prefeitura alegou também, que o Governo Federal repassa apenas R$ 0,57 centavos por aluno e, para que, a administração ofereça uma merenda de qualidade, são complementados com recursos próprios R$ 0,63 centavos, aplicando R$ 1,00 por aluno.

“Estamos gerindo com segurança e responsabilidade os recursos públicos de Ponta Porã e, temos certeza, essa investigação vai, mais uma vez, comprovar esse compromisso”, respondeu em nota.