19 de abril de 2021
Campo Grande 31º 20º

João Rocha nega "teoria da conspiração em WhatsApp" contra Bernal. “Essa coisa de golpe não existe”

O prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP) parece estar se “armando contra uma possível teoria da conspiração” em relação à sua continuidade ao cargo de chefe do Executivo Municipal. Isso por quê, durante a inauguração do pavilhão da APAE (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais) na manhã desta segunda-feira (30) Bernal mostrou uma imagem aos jornalistas presentes, na qual continha foto de um celular com os dizeres “Bom dia  Picarelli & Magali, concluída a eleição? Bernal roda e João assume?"(leia aqui). Com o conteúdo em mãos, Bernal afirmou que levará as imagens ao Ministério Público para possível investigação, temendo um “novo golpe”, tirando-o da prefeitura. 

"Teoria da conspiração"

Respondendo a atitude do prefeito, o presidente da Câmara Municipal de Campo Grande, vereador João Rocha (PSDB) disse ao MS Notícias disse é um “grande exagero” e que não acredita em “teoria da conspiração” contra Alcides Bernal. “Meu discurso é um só, foi feito na tribuna e resume o que eu penso, a minha eleição foi feita por um colegiado que se entendeu em consenso, o meu nome foi escolhido dessa forma. Fui eleito para conduzir o destino da Câmara Municipal e vou continuar agindo no cumprimento da lei orgânica e do regimento interno. Nossa função é legislar, pra gente é muito mais interessante aplaudir as ações do prefeito do que ter que fiscalizar. Pedi uma audiência com ele, liguei pessoalmente na sexta-feira (27) à noite e ele não me atendeu. Estou fazendo um ofício agora para que o presidente sente com o prefeito para conversar. Agora essa coisa de golpe não existe, se o prefeito sair por algum motivo à instituição cumprirá o seu papel, não existe “teoria da conspiração” e a minha história de vida fala por mim, não estamos criando nenhuma situação. 

“Loucura de golpe”

Quando um não quer, dois não brigam, o que queremos é fazer o nosso trabalho, não vou entrar nessa pilha, tenho paciência, convicção das minhas atitudes e não vamos nos furtar quando for a hora de fazer críticas. O Bernal tem que parar com essa loucura de golpe, se ele vier a sair, é por uma decisão da Justiça”, pontuou o presidente. Com a suspeita da imagem do celular que o prefeito tinha em mãos ser da vereadora Magali Picarelli (PMDB), o MS Notícias entrou em contato com a parlamentar, porém até o fechamento desta matéria não houve retorno nas ligações. 

Reunião institucional

Bernal anunciou que tem reunião agendada para tarde desta segunda-feira (30) às 15 horas com João Rocha, mas antecipou que vai tratar apenas de assuntos institucionais. O prefeito, que está no cargo por força de liminar, de fato, corre risco de deixar Prefeitura caso o recurso da Câmara de Vereadores seja colocado em pauta de julgamento da 1ª Câmara Civel. O recurso está mãos da desembargadora Tânia Freitas de Souza.