25 de outubro de 2020
Campo Grande 32º 21º

Manifestantes pró-Bernal e pró-cassação se dividem em lados opostos do plenário

Os manifestantes que compareceram hoje à Câmara Municipal para acompanhar a sessão de julgamento do prefeito Alcides Bernal (PP) estão bastante divididos e se separaram em lados opostos do plenário. Enquanto aqueles que apoiam o prefeito se concentram do lado direito do prédio, as pessoas que defendem à cassação buscam o lado esquerdo da bancada. Alguns grupos chegaram a se enfrentar iniciando um pequeno tumulto.

O presidente do Conselho Regional Imbirussu, Elvio Rangel da Silva, afirma que não existe golpe político como alega a defesa do chefe do executivo. Segundo ele, a região aguarda a conclusão de várias obras como três Ceinfs (Centros de Educação Infantil), dois CRS (Centros Regionais de Saúde) e uma UPA (Unidade de Pronto atendimento).

“Campo Grande teve um avanço nos últimos dez anos, mas em 2013 a cidade ficou estagnada. Na região do Imbirussu existem oito obras paradas que o dinheiro está em caixa, os empenhos já foram feitos, mas a prefeitura não consegue dar uma explicação”, reclamou.

O vice-presidente do Conselho Regional do Segredo, Paulo César Lima, reclama de problemas semelhantes. “Nós já conversamos com o Bernal, já dissemos que não temos nada contra a pessoa dele mas administração dele em Campo Grande está péssima, um caos. Na nossa região temos Ceinfs inacabados e ruas sem asfalto”.

De acordo com Paulo, a prefeitura deixou de assinar diversos convênios com o governo federal no ano passado por falta de projetos e Bernal está loteando a prefeitura entre os partidos em troca de apoio político.

Diana Christie e Heloísa Lazarini