02 de dezembro de 2020
Campo Grande 33º 23º

Mesmo com justiça ao lado de Bernal vereadores insistem em cassar prefeito

A decisão concedida na tarde de ontem pelo juiz da 2ª Vara de Direitos Difusos, Coletivos e Individuais Homogêneos de Campo Grande, David de Oliveira Gomes Filho, rejeitando a ação de improbidade administrativa do MPE (Ministério Público Estadual) contra o prefeito Alcides Bernal (PP), e embasada no relatório feito pela CPI do Calote, soma mais uma das recentes e consecutivas vitórias que o líder do executivo municipal vem conquistando na justiça desde que foi travada a batalha entre os poderes Executivo e Legislativo na Capital.

Descontente com os procederes favoráveis à Bernal, a vereadora Juliana Zorzo (PSC), componente da oposição da atual gestão municipal, explica que embora acredite na imparcialidade e seriedade do poder judiciário não está satisfeita com os resultados apresentados. “A justiça está fazendo uma bagunça, cada um fala uma coisa diferente, um dá uma decisão em cima do outro e por aí vai. Estou chateada com o poder judiciário e com a justiça, pois, muitas vezes eles não tem se mostrado transparente nas decisões que dão”, disse.

Para o advogado e vereador Otávio Trad (PT do B) que afirma acreditar fielmente na justiça e na isenção de lados do poder judiciário, as positivas em relação a Bernal são fatos isolados e comuns no sistema judiciário. “Assim como o Bernal já teve decisões favoráveis e contrárias nós também tivemos, afinal, é normal essa divergência de pensamentos entre os magistrados”, pontua.

O vereador relata que embora as últimas decisões relacionadas à Comissão Processante e ao pedido de improbidade administrativa contra o prefeito tenham tido um parecer negativo para a Câmara, nada impede ou diminui a responsabilidade dos parlamentares continuarem fiscalizando e apontando atitudes que juguem irregulares na administração. “Na minha convicção sei que houveram ilegalidades no primeiro ano da gestão do Bernal, mas, se a justiça entende o contrário, paciência, quem sai perdendo é o povo e assim, cabe a Câmara continuar fazendo seu trabalho que e buscar coibir ilegalidades”, ressalta.

O peemedebista Paulo Siufi lembra que embora existam constantes alardes envolvendo o legislativo e o executivo, o verdadeiro objetivo da Comissão Processante e dos vereadores não é tirar o prefeito do poder e sim solucionar questões que de acordo com ele ainda estão ocultas. “Ninguém vai querer cassar por cassar o mandato do Bernal, queremos apenas melhorar Campo Grande. Se o prefeito explicar e comprovar tudo que foi apurado pela CPI e pela Processante, tudo acaba”, afirma.

Clayton Neves