04 de maro de 2021
Campo Grande 32º 22º

MPE inclui em Força Tarefa investigação sobre Itel Informática

O MPE (Ministério Público Estadual), por meio da 31ª Promotoria de Justiça do Patrimônio Público e Social de Campo Grande decidiu dar continuidade à investigação que apura possível direcionamento de licitações na prefeitura da Capital para favorecer a Itel Informática Ltda, empresa de João Roberto Baird. 

Conforme deliberação do Conselho Superior do órgão, publicada na edição desta quarta-feira (21) do Diário Oficial do MPE, o Procedimento Investigatório nº 91/2014 deverá ser encaminhado a um dos promotores que integram Força Tarefa do MPE formada para apurar possíveis irregularidades na execução de serviços prestados ao Município por empresas terceirizadas, como é o caso da Proteco Construções Ltda, investigada por supostas fraudes em licitações e cobranças indevidas por serviços não executados. 

A Proteco é do empresário João Amorim, que assim como Baird, é investigado pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) na Operação Coffee Break, que apura possível esquema criado para cassar Alcides Bernal em 2014 que teria participação do prefeito afastado, da Capital, Gilmar Olarte. Amorim também é alvo da Polícia Federal na Operação Lama Asfáltica.

No caso da Itel, a investigação se trata do pregão presencial nº 127/2014 que, conforme MPE, teria sido direcionada para favorecer empresa.

A Força Tarefa é formada pelos promotores de Justiça: Cristiane Mourão Leal Santos, Fabio Ianni Goldfinger, Thalys Franklyn de Souza e Tiago Di Giulio Freire, para o prosseguimento das investigações