02 de dezembro de 2020
Campo Grande 33º 23º

HONESTO

Na "cota parente" do PSL, irmão de deputado é assessor de senadora

Irmão do deputado federal Loester Carlos tem salário de R$ 11 mil como assessor de Soraya Thronicke

O PSL, partido que arrebatou o eleitorado com a nova política e a bandeira da meritocracia, tem episódios do que aparenta ser uma cota parente. Notícia em junho deste ano por empregar o irmão de um colega parlamentar da mesma sigla, o deputado federal Loester Carlos Gomes de Souza (PSL) também tem irmão trabalhando no gabinete da senadora Soraya Thronicke, do mesmo partido.

Irmão do parlamentar, Carlos Alberto Gomes de Souza foi nomeado como auxiliar parlamentar sênior no gabinete da senadora por meio de portaria publicada no dia primeiro de fevereiro. Conforme consulta ao Portal da Transparência do Senado Federal, Carlos Alberto tem remuneração de R$ 11.245,36; com descontos, o valor líquido é de R$ 8.765,11.

Visto pela reportagem na sexta-feira (dia 20), dirigindo o veículo em que a senadora deixou evento da bancada federal na Esplanada Ferroviária, em Campo Grande, o irmão do deputado disse hoje ao Campo Grande News que na ocasião, estava em seu veículo e que tem funções internas no gabinete de apoio que Soraya mantém em Campo Grande.

Para ele, não há favorecimento pelo fato de ser irmão de deputado. “Não foi um pedido dele. Já a conhecia antes, há três anos. Trabalhei de forma voluntária na campanha. Não foi indicação dele [irmão] e não tem ninguém dela com ele”, afirmou Carlos Alberto. O esclarecimento é porque a troca de indicações seria nepotismo cruzado, prática proibida pela Constituição Federal.

Antes da vitória dos candidatos do PSL, Carlos, que é enfermeiro, tinha uma microempresa de construção civil. No fim de 2017, por exemplo, cobrava R$ 500 para pintar apartamento. No ano seguinte, divulgou para os clientes, por meio do aplicativo WhatsApp, banner do irmão candidato.

"Tinha uma empresa de construção civil, prestava serviço na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul [UFMS], Facsul [Faculdade Mato Grosso do Sul]. Mas tive que fechar para trabalhar com ela”, disse o assessor parlamentar da senadora. 

Na atual função, Carlos Alberto conta que recebe e encaminha pedidos de prefeitos e vereadores, além de serviços na parte contábil. Com oito assessores, o escritório de apoio da senadora fica na Chácara Cachoeira, em Campo Grande.

IRMÃO DO COLEGA

Senadora deixou evento em carro conduzido por Carlos Alberto. Foto: Jones Mário 

No mês de junho, o deputado federal Loester Carlos contratou Ramiro Laterça de Almeida, irmão do deputado federal Felício Laterça (PSL/RJ), para atuar em seu gabinete na Câmara dos Deputados, como secretário parlamentar. Conforme a legislação, nenhum parlamentar pode empregar parentes no próprio gabinete.

Cada deputado tem R$ 111.675,59 por mês para pagar salário de até 25 secretários parlamentares, com remuneração que varia de R$ 1.025,12 a R$ 15.698,32. Os assessores podem ser lotados em Brasília ou no Estado que é base eleitoral do parlamentar.

De acordo com o Portal da Transparência da Câmara Federal, os deputados de Mato Grosso do Sul gastaram R$ 8,5 milhões da verba de gabinete entre janeiro e novembro. O Campo Grande News não conseguiu contato com o deputado federal Loester Carlos nesta segunda-feira (dia 23).