19 de outubro de 2020
Campo Grande 34º 23º

Nelsinho se mostra confiante e despreza alianças

Diana Christie

Depois do vice-presidente do PDT, Dagoberto Nogueira ter afirmado que o partido apoiaria o PMDB se o governador André Puccinelli concorresse à vaga de senador e que a decisão sobre outros cenários ficará para o ano que vem, o pré-candidato ao governo Nelsinho Trad adiantou que, independentemente de outros partidos, o PMDB tem uma base sólida para lançar a sua candidatura. “Com PDT ou sem PDT eu vou ser candidato”, declarou.

Nelsinho também criticou a aproximação entre o senador Delcídio do Amaral (PT) e o deputado federal Reinaldo Azambuja (PSDB). Ele considera a aliança “incoerente” e ainda alfinetou: “quero ver o Zeca (ex-governador do PT) pedindo voto pro Azambuja, eu vou viver e não vou ter visto tudo nesta minha vida”.

Sobre uma possível aliança entre PT e PMDB, Nelsinho ironizou ao afirmar que o pré-candidato petista estava convidado “se ele quiser ser nosso vice”. Além disso, o peemedebista declarou que Delcídio “não vai ganhar pelo telefone porque vou mostrar o meu trabalho”.

O pré-candidato ao governo ainda se mostrou confiante mesmo com a possibilidade de Edson Giroto (PR) também entrar na disputa. Segundo ele, a grande quantidade de candidatos nas últimas eleições para Campo Grande só foi prejudicial para o favorito. “Ganhar ou perder faz parte do processo”, finalizou.