20 de janeiro de 2021
Campo Grande 30º 21º

Nomeação de Jacqueline pode ser estratégia para reaproximar Chocolate de Bernal

A nomeação da suplente de vereador do Partido Progressista, Jacqueline Hidelbrad Romero, para a Secretaria Municipal de Políticas Públicas para a Mulher pode ser uma maneira do prefeito Alcides Bernal (PP) restabelecer o diálogo com o próprio partido e também reaproximar-se do vereador Chocolate, expulso do PP por infidelidade partidária. Pelo menos esta é a teoria de alguns membros da base de sustentação do prefeito na Câmara Municipal.

jacqueline

“O prefeito também tem que atender a sua base partidária. O PP não pode ficar órfão. Não pode ser desses que chega ao governo e esquece os próprios companheiros. Ele fez certo, cumpriu com a missão de fortalecer o seu próprio partido. E a indicação da Jacqueline suaviza o caso do Chocolate, já que ela é suplente dele. Mostra que ela não vai disputar o cargo dele. A situação do Chocolate ameniza. Se a expulsão se confirmar, que ele procure outra legenda, mas que volte para a base. Creio que foi um passo nessa direção”, declarou Alex do PT.

A teoria é compartilhada pelo vereador Edson Shimabukuro (PTB) que acredita que o PP está em um momento crítico. A expulsão de Chocolate somada às acusações feitas por Bernal de que o vice-prefeito Gilmar Olarte (PP) estaria tramando juntamente com a oposição um golpe político para a sua cassação deixaram o partido rachado. “Ele está acomodando a Jacqueline porque ela é a primeira suplente. Tinha o Chocolate, tinha o Olarte, não cedeu espaço nem para um nem para outro e brigaram. Ele (Bernal) tinha que dar a secretaria para ela, senão ela vai querer a vaga do Chocolate”, afirma Shimabukuro.

O vereador Cazuza ainda descarta a possibilidade do chefe do executivo ter cometido um erro por não usar a secretaria para conquistar novos aliados. “A mídia acusa o prefeito de estar usando as secretarias para barganhar, se faz o contrário também reclama. O que a mídia quer é que o prefeito não administre. É a decisão do prefeito. Ela (Jacqueline) é competente, fez parte da OAB (Ordem dos Advogados Brasileiros), está nessa frente de trabalho de políticas para as mulheres”, criticou.

Diana Christie