16 de junho de 2021
Campo Grande 27º 14º

Vereadores criticam gestão de Olarte que encerra ano em meio a crises

A- A+

Os vereadores que pertencem à oposição do prefeito da Capital, Gilmar Olarte (PP), destacaram que 2014 foi um ano turbulento em Campo Grande na área política. De acordo com a vereadora Luiza Ribeiro (PPS), a crise econômica que o prefeito alega estar passando é resultado de uma administração ineficiente.

Luiza faz questão de ressaltar a cassação do ex-prefeito Alcides Bernal (PP) que aconteceu em março deste ano, dizendo que Olarte não foi eleito pela população.  “As consequências desse desarranjo administrativo do Gilmar Olarte é fruto da cassação injusta do Alcides Bernal.  Alcides foi eleito legitimamente em 2012, mas por interferência do PMDB e lideranças que não se conformaram com o resultado eleitoral, criaram uma série de situações para ver o resultado alterado, cassaram ele em um processo desgastante e quem assumiu a prefeitura foi o Olarte e o PMDB e seus aliados”.

Concordando com as afirmações de Luiza, o vereador Paulo Pedra (PDT) disse que teme diante da gestão realizada por Olarte na Capital e diz que o prefeito atual não tem programação e nem experiência para ocupar o cargo.

“A crise é falta de gestão, o orçamento de Campo Grande se arrecadou o que previa, o problema é que a gestão dele é temerária, sem programação, sem experiência, sem condição nenhuma de administrar uma Capital como a nossa, a crise é essa, uma gestão temerária que gera todas essas crises”, afirma o vereador.

Questionado sobre a descrição deste ano, Paulo Pedra classifica o ano como politicamente negativo. "Um ano muito difícil, ano turbulento, pela eleição, cassação prefeito, escândalo da Petrobrás, uma série de coisas que fez o ano ser politicamente negativo, temos que ter otimismo e esperança, não se se via melhorar, acredito que lá por março teremos a perspectiva de como será este ano”, finaliza o vereador.

Dany Nascimento