28 de novembro de 2020
Campo Grande 36º 23º

Policial vai à Assembleia sugerir projeto para adestramento de cães de rua

Diana Christie

O policial militar Ednaldo Neves dos Santos foi à Assembleia Legislativa esta manhã para apresentar um projeto próprio para que cães de rua sejam adestrados para adoção. Ele sugere que as mulheres presidiárias sejam capacitadas para treinar esses animais recolhidos pelo CCZ (Centro de Controle de Zoonoses).

De acordo com o autor do projeto, que é adestrador de cachorros há onze anos, os animais que se encaixem no perfil para cão-guia, como o pastor alemão, labrador e o gold retriever, seriam doados para pessoas com deficiências visuais. “Sempre tive vontade de treinar cães-guia. E cada cão desse custa R$ 35 mil. Existem apenas 90 cães treinados em todo o Brasil”, defende.

Além disso, pelo projeto, alguns animais devem ser treinados para a cinoterapia, que é uma abordagem terapêutica com o auxílio de cães para crianças com problemas psicológicos, de relacionamento social ou distúrbios de aprendizagem.

Ednaldo explica que os animais treinados serão doados sem custo em uma feira. “O treinamento agrega valor ao cão já que o adestramento custa R$ 400 por mês”, conta. Segundo ele, o projeto é autossustentável também porque algumas detentas seriam treinadas para a fabricação de acessórios para os animais de estimação, que seriam vendidos nessas feiras.