17 de junho de 2021
Campo Grande 26º 15º

Presidência da CCJR não é preocupação para tucanos, garante líder do governo

Rinaldo Modesto garantiu que qualquer partido que ocupar o cargo não irá dificultar a relação da AL junto ao governo de Reinaldo Azambuja

A- A+

Os tucanos não parecem estar preocupados com o rumo da CCJR (Comissão de Constituição, Justiça e Redação), em relação à presidência da Comissão, ao menos, é o que garante o líder do governo na Assembleia Legislativa, o deputado Rinaldo Modesto (PSDB).

Conforme disse à reportagem do site MS Notícias, a sigla não irá participar de nenhum bloco na Casa de Leis, já que a bancada possui mais de quatro membros e já possui a garantia de vagas nas Comissões.

“Os partidos pequenos, que são da base do governo, e possuem menos de quatro membros, estão conversando e se organizando para se fortalecer na Casa e assim participar das comissões permanentes. Eles estão conversando para definir essa questão”, disse o tucano.

De acordo com o parlamentar, o PSDB não está pleiteando a presidência da CCJR, e ao ser questionado se não seria interessante para o próprio partido ter algum tucano nessa vaga para aprovação tranquila de projetos, Rinaldo disse que os partidos presentes na Casa são da base do governo, por esse motivo não há maiores preocupações. A bancada do Partido dos Trabalhadores foi a única que declarou oposição ao governo tucano de Reinaldo Azambuja.

“Não é necessário ter alguém do PSDB na presidência, já que temos os partidos aliados, e qualquer um deles tem condições para presidir”, comentou em relação ao PT do B, PEN, PDT, PR, DEM e PSB.

Ao ser perguntado se o nome de um peemedebista na presidência da CCJR poderá travar projetos e dificultar o relacionamento da Assembleia Legislativa com o atual governo, mais uma vez Rinaldo afirmou que não.

“Não vai dificultar nem travar, até porque não é apenas o presidente quem decide, mais sim, a comissão em um todo que deve tomar as decisões. Tudo o que vem de encontro com a população, a comissão não será contra, até mesmo se o presidente for alguém do PT, já que esta é uma oposição do ponto de vista ideológico apenas”, finalizou.