04 de dezembro de 2020
Campo Grande 33º 24º

Presidente do Sisem protocola pedido de cassação de Bernal

Diana Christie O presidente do Sisem (Sindicatos dos Servidores e Funcionários Municipais de Campo Grande), Marcos Cesar Malaquias Tabosa, protocolou um pedido de cassação do prefeito Alcides Bernal (PP) na manhã de hoje. Ele alega que houve apropriação indevida do dinheiro destinado ao sindicato por parte do prefeito. Tabosa, que já prestou depoimento na CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) do Calote, entregou um dossiê com cerca de 80 páginas contendo documentos e e-mails, que segundo ele, comprovam improbidade administrativa de Bernal. “Ele não pode dizer que tem 270 mil votos e fazer o que quiser. Tenho certeza que esses 270 mil votos foram para que ele atenda as necessidades da população”, esbravejou. A prefeitura está há cinco meses sem repassar ao sindicato o dinheiro arrecadado dos servidores municipais, totalizando uma dívida de aproximadamente R$ 700 mil. Segundo o presidente do Sisem, a falta de dinheiro paralisa ações judiciais e mobilizações de servidores. “Ele sabe que a partir do momento que o dinheiro chegar ao sindicato, as mobilizações começarão”, alega. Para o líder do prefeito na Câmara, vereador Alex do PT, a ação do presidente é “exagerada”. “Temos que entender que o processo de cassação não pode ser projetado numa situação que, a meu ver, é extremamente frágil”, afirmou. Alex acredita que o pedido será arquivado e afirma que o prefeito está se “resguardando” para agir às acusações apropriadamente. De acordo com o vereador Mário César (PMDB), o pedido de cassação foi encaminhado para a procuradoria jurídica da Câmara dos Vereadores que irá avaliar a validade do pedido. Não há prazo para uma resposta, mas o vereador acredita que em até cinco dias a procuradoria emita um parecer. Caso seja aprovado, o pedido de cassação vai para o legislativo que decide, por maioria simples, se há necessidade da criação de uma comissão processante.