28 de janeiro de 2021
Campo Grande 28º 20º

Presidente do PSDB-MS está surpreso com denúncias de que alguns prefeitos tucanos podem estar envolv

O deputado estadual Márcio Monteiro e presidente regional do PSDB (Partido da Social Democracia Brasileira) negou ter conhecimento sobre as denúncias recebidas pelo MS Notícias de fontes que preferiram não se identificar por uma questão de segurança de que, supostamente, alguns prefeitos do PSDB  possam estar por trás de uma máfia que tem controlado o fornecimento de merenda para rede municipal de ensino nas cidades do interior comandadas pelos mesmos. "Eu não conheço, não sei se é inquérito policial, não vi,  não li nem ouvi", afirmou o deputado. De acordo com pessoas próximas às prefeituras, alguns dos prefeitos tucanos têm realizado licitações que podem ser consideradas fraudulentas, do tipo carta marcada, quando já sabe quem serão os vencedores. O escândalo explodiu em duas cidades, Água Clara e Nova Alvorada do Sul, e há indícios, segundo as denúncias, de que tais prefeitos tucanos podem estar por trás das empresas vencedoras de licitações milionárias para aquisição de gêneros alimentícios para os municípios que administram. Em Água Clara, por exemplo, o Supermercado Brasil, que pertencia à vice-prefeita Valéria Travain, eleita em coligação com tucanos, teve sua razão social alterada para Irmãos Marques Supermercados Ltda, que tem como um dos sócios, por coincidência, Eduardo Lima Marques, antigo gerente do Supermercado Brasil. Outro indício da máfia da merenda, é que o gerente financeiro responsável por elaborar as propostas de licitação enviadas à prefeitura é o marido da vice-prefeita. A denúncia sobre a situação de Água Clara foi levado ao MPE (Ministério Público Estadual) que instaurou inquérito em 18 de abril de 2013 para investigar o caso. O inquérito está ainda em andamento. A Câmara Municipal de Vereadores também abriu uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para investigar se há fraude ou favorecimento nas licitações. Heloísa Lazarini