02 de dezembro de 2021
Campo Grande 30º 22º

PT define Ayache como plano B ao Senado e pretende eleger 12 estaduais e 4 federais

A- A+

20140517_122533

O PT (Partido dos Trabalhadores) encerrou hoje a penúltima fase do período pré-campanha como algumas definições. A mais importante delas, politicamente, foi a escolha de Ricardo Ayache como pré-candidato ao Senado caso o presidente da Fiems, Sergio Longen não aceita o convite feito anteriormente pelo senador Delcídio do Amaral. O nome de Ayache foi ovacionada pela maioria dos militantes petistas que defendem um senador petista ao invés de Longen. Delcídio manteve sua posição de  esperar a decisão de Longen até para honrar o convite que já havia sido feito. " O PTB vai estar conosco para fazer aliança, pois o Sergio já assumiu esse compromisso, e se ele não quiser sair ao senado, aí o Ricardo é o candidato", afirma Delcídio. Além disso, foram apresentados os pré-candidatos do PT a deputado federal e estadual. O senador Delcídio do Amaral afirmou que o partido, por meio das alianças com outras siglas, pretende eleger 12 deputados estaduais e quatro federais. "Nós achamos que na nossa aliança PT e os demais partidos nós fazemos 12 estaduais e isso com pé no chão, não estou inventando moda. E devemos fazemos quatro federais em uma chapa que vai ser um chapão." Delcídio confirmou, PDT, PP, PTB, PROS, PR, fazendo uma ressalva de que ainda há em negociação a questão do vice, que pode ser do PDT, PV, PC do B, e garantiu que está conversando com PSC e PRB. "Estamos conversando com o PRB porque apesar de o partido aqui já ter anunciado apoio a outra candidatura, a nacional ainda não está certa desta decisão", afirma Delcídio, que finaliza dizendo que outros membros de legendas rivais devem apoiar sua pré-candidatura, como é oc aso de Teresa Name, do PSD, e seu irmão, deputado Jerson Domingos (PMDB). "Assim como a teresa vai me apoiar, tem muita gente que está em outros palanques que vai estar comigo também", finaliza. Heloísa Lazarini