23 de janeiro de 2021
Campo Grande 30º 21º

PT está mais interessado em Puccinelli do que no PMDB

O presidente regional do PT, e prefeito de Corumbá, Paulo Duarte, está confiante na autonomia do diretório de Mato Grosso do Sul no tocante à escolha das alianças que serão concretizadas no Estado para formar a chapa do pré-candidato ao governo pelo PT, senador Delcídio do Amaral. Segundo Paulo Duarte, a conversa que ele teve com Rui Falcão, em São Paulo, na última semana, foi decisiva para o partido no Estado, que, agora, começa a traçar algumas diretrizes mais definidas sobre os futuros aliados, em especial do PMDB do governador André Puccinelli. "A conversa com Rui Falcão foi muito importante. É claro que a nacional tem todo interesse me replicar no Estado a aliança com o PMDB , mas isso não é automático e há um grande impedimento que é o fato de os dois partidos (PT e PMDB) terem pré-candidatos ao governo", afirma Paulo Duarte que deixou claro que para haver uma aliança o PMDB teria obrigatoriamente que abrir mão da candidatura de Nelson Trad Filho ao governo do Estado. Ao que tudo indica, depois da última semana, os petistas do Estado estão mais confiantes e crentes que a executiva nacional de fato irá dar-lhes liberdade para escolher seus aliados no Estado e ao contrário do que Puccinelli declarou na semana passada sobre o assédio petista sobre o PMDB não é exclusividade de Mato Grosso do Sul. "O Mercadante deve ter chamado todos os governadores do PMDB do Brasil para conversar", afirmou Paulo Duarte negando que o PT nacional esteja em busca de um namoro com entre os dois partidos no Estado, como afirmou André Puccinelli. Assim como ele, o deputado federal Antonio Carlos Biffi, também desmente, de certa forma, as declarações de Puccinelli.  "O Mercadante está conversando com todos os governadores, não é só com o André e não existe essa conversa de namoro", afirma o deputado. Paulo Duarte, no entanto, não descarta a possibilidade da uma aliança desde que o PMDB abra mão de Nelsinho, o que deixa transparecer que o interesse do PT está mais focado na figura política de André Puccinelli do que no PMDB em si. "Se o PMDB desistir de lançar um candidato a governador, aí uma aliança até seria possível", afirma Duarte, que ressaltou que embora o PT em Mato Grosso do Sul esteja unido e focado no projeto nacional do partido que é a reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT), o partido não irá, em função disso, colocar em risco a eleição de Delcídio do Amaral como governador. "Nossa prioridade é a eleição do Delcídio mais a da presidente Dilma", deixa claro Duarte. Heloísa Lazarini