03 de dezembro de 2020
Campo Grande 34º 23º

"NÃO ALISOU"

Regina Duarte é empossada na Cultura e manda olavistas para a "rua"

O Guru de Bolsonaro 'chiou' no twitter. A tropa de robôs reagiu no Twitter

Saiu nessa manhã (4 de março) no Diário Oficial a concretização do "casório", da atriz Regina Duarte, com o governo de Jair Bolsonaro. A artista nomeada Secretária Especial da Cultura, tem a missão de pacificar a guerra cultural travada pela ala de extrema esquerda olavista [apaixonados por Olavo de Carvalho e contra Paulo Freire]. E ela já começou ‘limpando a casa’, não mandou eles “para Cuba”, mas sim para o “olho da rua”, no jargão popular. 

Regina Duarte fez uma série de exonerações na pasta nessa manhã. Para assumir a artista teve que encerrar contrato de 50 anos com a TV Globo. 

A Cultura, em mais de 1 ano do governo de Jair Bolsonaro só passou por crises e nada de novo foi apresentado. A artista é a aposta de Jair para resolver o problemão causado pelo antigo gestor da pasta, Roberto Alvim, exonerado em 17 de janeiro após fazer um vídeo com referências de um ministro da Alemanha nazista. Após o pronunciamento, foi acusado de promover o nome de um líder de marketing de Adolf Hitler [o mais cruel ditador que já viveu entre os homens]. 

A atriz terá um salário mensal de R$ 17.327,65, a frente da pasta. Para começo de conversa ela já tem inimigos, enfrenta resistência da ala ideológica do governo, em especial de seguidores do escritor Olavo de Carvalho, pelas exonerações feitas nesta quarta, ela se mostra decidida a não passar a mão na cabeça de ‘seu ninguém’. 

Confira a lista dos exonerados e seus respectivos cargos:

  • Ricardo Freire Vasconcelos, - Diretor do Departamento do Sistema Nacional de Cultura
  • Ednagela dos Santos Barroso - Diretora do Departamento de Promoção da Diversidade Cultural, da Secretaria da Diversidade Cultural
  • Paulo Cesar Brasil do Amaral - Presidente do Ibram (Instituto Brasileiro de Museus)
  • Reynaldo Campanatti Pereira - Secretário da Economia Criativa 
  • Rodrigo Maximiano Junqueira - Secretário de Difusão e Infraestrutura Cultural 
  • Camilo Calandreli - Secretário de Fomento e Incentivo à Cultura 
  • Marcos de Almeida Villaça Azevedo - Secretário de Direitos Autorais e Propriedade Intelectual
  • Dante Henrique Mantovani - Presidente da Funarte (Fundação Nacional de Artes) 

Entre as exonerações oficializadas está a de Dante Mantovani, da Fundação Nacional de Artes (Funarte), que é aluno de Olavo e membro da Cúpula Conservadora das Américas. 

Mantovani havia sido nomeado em dezembro de 2019 pelo ex-secretário da Cultura Roberto Alvim.

No total, foram publicadas dez exonerações e Regina deve anunciar sua equipe ainda nesta quarta.

A demissão de nomes ligados à ala olavista levou à reação de apoiadores de Bolsonaro nas redes sociais e a hashtag #ForaRegina está entre os assuntos mais comentados no Twitter.

O próprio Olavo de Carvalho usou as redes para criticar a nova secretária. Ele se queixou sobre a possibilidade de a atriz excluir de seu quadro de servidores seguidores do escritor, guru ideológico do bolsonarismo. 

"Se a Regina Duarte quer mesmo se livrar de indicados do Olavo de Carvalho, a pessoa principal que ela teria de botar para fora do ministério seria ela mesma", escreveu, antes das exonerações serem confirmadas.

A cerimônia de posse está marcada para às 11h desta quarta no salão nobre do Palácio do Planalto, e contará com a presença de representantes da classe artística e de políticos.

Regina será a terceira secretária a comandar a pasta, marcada por uma série de controvérsias desde o início da gestão Bolsonaro. Publicamente, ela vem dizendo que tem como missão “pacificar” a Secretaria e fazer com que a cultura esteja acima de ideologias.

VEJA A CERIMÔNIA DE POSSE AO VIVO

*Com Folha de S. Paulo.