16 de abril de 2021
Campo Grande 32º 20º

Zona de conflito

“Se ele chegar ‘peitando’ não vai resolver’, ameaça o ‘olartista’ Airton Saraiva

Funcionários da Solurb paralisaram atividades, cobram Bernal sobre pagamentos de salários sem lembrar dos milhões desviados para atividades ilícitas.

Funcionários da Solurb, empresa responsável pela coleta de lixo em Campo Grande, paralisaram atividades nesta quarta-feira (9). Segundo o sindicato da categoria, a Solurb está com o salário atrasado do mês de agosto, por consequência do atraso da prefeitura há 3 meses, que deve R$ 23,7 milhões à empresa, além da solicitação de reajuste, que deveria ser indexado há 14 meses atrás. 

Diante do impasse, o vereador Airton Saraiva (DEM) durante sessão ordinária na Câmara Municipal na manhã desta quarta-feira (9) alertou que o momento não é de conflitos e sim de negociação política para resolver o problema entre a prefeitura e a Solurb. 

“O prefeito tem que entender que ele chegou em um momento de crise, agora a necessidade é de “rebanhar”, negociar, se ele acha que vai chegar ‘peitando’ e falando mal, não vai resolver. É no mesmo tom que ele está vindo no passado e isso começa a dar o tom de que o revanchismo está de volta. Ele chegou na Câmara e disse: “Joguei o retrovisor fora”, mas parece que ele guardou. O que a gente quer não é briga, não podemos voltar na mesma discussão, temos que avançar, tem que sentar e negociar, isso é gestão”, diz Saraiva, analisando negativamente as atitudes do prefeito Alcides Bernal, em relação a resolução do entrave entre a Solurb e em relação as merendas que foram encontradas vencidas da Rede Municipal de Ensino. 

Saraiva, no entanto, não explicou todo o apoio dado ao ex-prefeito empossado pelo grupo do qual fazia parte. Não explica as toneladas de alimentos vencidos e deteriorados pelo "capricho" do ex-prefeito na tentativa de desestabilizar a greve dos professores, gerada a partir do descumprimento de Lei, por ele mesmo promulgada. 

Saraiva, um serviçal da gestão Nelsinho Trad - acusado em diversas investigações da Justiça -, articulador da cassação do prefeito eleito Alcides Bernal, avalista da gestão Gilmar Olarte, atuando por vezes como líder extraoficial do prefeito na Câmara Municipal, chegando a discursar contra requerimentos que apenas solicitavam informações que, hoje, se tem como imprescindíveis, uma vez que os "erros" administrativos de um prefeito acusado pela Justiça por corrupção e lavagem de dinheiro, dariam mais do que motivos suficientes para um legislativo - que tem por função, entre outras, a fiscalização do executivo - investigar desvios e malservações, nesse momento busca, ainda no uso da palavra em plenário, cobrar ações do prefeito eleito e recém-empossado pela Justiça, mesmo que no momento esteja sob investigação do Ministério Público Estadual, na Operação Coffee Break, e sob investigação do Conselho de Ética de seus pares.

Já o vereador Alex do PT, ainda não confirmado líder do prefeito na Câmara, afirmou que é preciso ter um controle da situação para só assim tomar uma atitude em relação a números e pagamentos. “O caminho é o diálogo. O Bernal tem que saber o que está acontecendo, tem que ficar por dentro, e só assim tomar uma posição. Tem que levantar o diagnóstico e ai sim mostrar para a sociedade. Ele tem responsabilidade sobre a máquina, a gestão e isso vai ser feito ao longo do trabalho dele enquanto prefeito”, afirmou Alex. 

Em nota, a prefeitura informou que os pagamentos estão em dia e solicitará a ação da Justiça para que a coleta de lixo não seja paralisada. Confira na íntegra.

Em 2013, quando assumimos a administração municipal, enfrentamos as mesmas dificuldades, criadas pelos mesmos personagens, que estamos enfrentando hoje. Ao reassumirmos a prefeitura, encontramos o cofre sem recursos, a despensa vazia, a farmácia desabastecida e muitas dívidas a serem pagas. O dinheiro sumiu e as contas ficaram.
A Solurb, empresa responsável pela coleta de lixo, já recebeu em 2015, o valor de R$ 56 milhões, sendo que o último pagamento ocorreu no dia 24 de agosto. Não existem pagamentos em aberto com a Solurb, pois as despesas dos serviços dos meses de junho e julho ainda não foram liquidadas.

O processo está em andamento para ser atestada a prestação de serviço e somente após a medição e conferência minuciosa é que novo pagamento será feito. Lembrando que pela legislação, a prefeitura tem até 90 dias para realizar o pagamento, prazo também previsto no contrato firmado entre a empresa e a administração.

É fundamental relembrar que os proprietários desta empresa estão envolvidos na Lama Asfáltica e no Coffe Break, operações da Polícia Federal e Gaeco, acusados de diversos crimes, inclusive o de tramar a cassação do nosso mandato.

E da mesma forma que em 2013, novamente a Solurb deixa de pagar seus funcionários para pressionar a administração municipal. Não aceitaremos que esta situação se repita. Já estamos tomando todas providências legais, acionando o Ministério Público do Trabalho e a Justiça e não iremos permitir que os interesses individuais e escusos de quem quer que seja penalizem a nossa população.