27 de janeiro de 2021
Campo Grande 30º 21º

Vereadores culpam Bernal por quase desistência de Ben Hur

Os vereadores de Campo Grande culpam o prefeito Alcides Bernal (PP) pelo pedido de demissão feito pelo secretário municipal de planejamento, finanças e controle, Ben Hur, via Facebook na manhã de ontem. Segundo o vereador Ayrton Araújo (PT), o secretário continua na pasta, mas sua saída seria uma grande perda para a gestão atual.

Para o vereador Carlão (PSB), o motivo do descontentamento do secretário seria os vetos que o prefeito fez às emendas solicitadas pelo legislativo. “Se ele sair, Bernal perde uma grande parceria. Acho que ele não ficou feliz porque as emendas que Ben Hur tinha acordado com os vereadores foram vetados”. Conforme o vereador, os vetos foram realizados justamente durante as férias do secretário.

Já o vereador Chiquinho Telles (PSD) acredita que o motivo seria a centralização de poder feita pelo prefeito que não dá autonomia aos secretários e está sempre indisponível para o diálogo. “Acho que ele não conseguia falar com o prefeito. O Bernal não o atendia. Ele deve ter pensado ‘eu sei que o Bernal lê o Facebook’. O Bernal é o único prefeito que consegue administrar a saúde por vídeo, ele e o secretario de saúde (Ivandro Fonseca)”, criticou.

Segundo Telles, o secretário Ben Hur e o secretário de governo, Pedro Chaves, são os “dois homens fortes de Bernal” e sem eles a administração do prefeito está perdida. “Sem Chaves fica de joelho. Sem Ben Hur vai para a lona de vez. Sempre elogiei o Ben Hur. Ele ao menos esteve na Casa para corrigir e aceitou os erros. Durante o ano foi diversas vezes à Câmara para tentar construir a governabilidade. Nunca falou mal dos vereadores”.

O presidente da Câmara Municipal, vereador Mario Cesar (PMDB), admite que houve “ingerências” na gestão do secretário, como os erros no PPA (Plano Plurianual) e na LOA (Lei Orçamentária Anual),  e critica a sobra de R$ 400 milhões no caixa da prefeitura ao final de 2013, mas ainda assim coloca toda a responsabilidade sobre o prefeito Alcides Bernal.

“Não vejo como benéfica para Campo Grande a saída de Ben Hur. Acontece que ele mesmo não está aguentando não poder fazer as coisas. É o mesmo que acontece na Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito) com o Jean Saliba, como aconteceu com a Kátia Castilho. Pode trazer a pessoa mais experiente do mundo que não vai mudar. Houve ingerência sobre tudo isso (LOA e PPA), mas ele assumiu o erro. Ele confiou na equipe dele e quando apurou que estava errado foi homem suficiente para assumir o erro”, ressaltou.

Somente a vereadora Luiza Ribeiro (PPS), da base de sustentação do prefeito, que chamou o secretário para a responsabilidade. “Tem que aguentar o tranco. Tem que ficar lá. A Câmara já o conhece. Ele sabia da dificuldade, da complexidade do cargo. Não sei se o problema foi falta de autonomia, mas não pode jogar o dele fora. Quem entra em um negócio desses sabe que não é fácil assim. Agora é hora de mostrar que tem garra”, finalizou.

Diana Christie