05 de maro de 2021
Campo Grande 28º 21º

Polêmica

Vereadores querem investigar se exoneração de diretores de escolas e Ceinfs tem cunho político

Os vereadores de Campo Grande querem investigar o prefeito Alcides Bernal (PP) após recebimento de denúncias de suposta retaliação a diretores de escolas de escolas e Ceinfs exonerados nesta quarta-feira (17).

Na manhã desta quinta-feira (18),o MS Notícias publicou matéria com depoimento de alguns dos diretores exonerados que relatam terem sido vítima de perseguição política. Os exonerados questionam o fato de as demissões terem acontecido justamente no dia seguinte à reunião política realizada pelo prefeito Alcides Bernal, no Buffet La Riviera onde Bernal teria pedido aos comissionados que se filiassem ao PP já de olho nas eleições deste ano. Alguns dos diretores exonerados contam que não aceitaram "o convite" e acreditam que isso, somado ao fato de terem sido nomeados na gestão do prefeito afastado Gilmar Olarte, possa ter motivado a demissão

Chiquinho Telles (PSD), apresentou uma ficha cadastral partidária que, segundo o vereador, foi distribuída na reunião de terça-feira (16). "Isso é maldade, não precisava disso. Ele pode fazer política dele, mas de outro jeito. Ele deveria ter avisado com antecedência que faria as exonerações", diz Chiquinho.

Para Carlão (PSB), as exonerações são arbitrárias. "Os diretores que estavam lá não estavam à toa. Eram competentes, estavam trabalhando com amor à comunidade, muitas vezes eles usaram dinheiro do bolso para comprar alimentos para os alunos.Sei que pais de escolas ali da regão do Oliveira que querem fazer um protesto contra a exoneração".

Alex do PT, ex-líder de Bernal na Câmara, considerou denúncia grave e pede que a Casa de Leis investigue o caso. "Essa ficha cadastral tem que ser investigada. A Câmara precisa investigar isso a fundo", diz. Da mesma opinião é o vereador Otávio Trad (PTdoB). "Se ficar provado que isso aconteceu, que essa ficha foi distribuída e que as exonerações tiveram cunho partidário, isso é crime".

Diante da repercussão negativa das demissões, os vereadores cogitam colocar em votação na sessão desta quinta-feira (18), o projeto de lei, parado na Casa, que prevê eleições diretas para cargo de diretor de escolas e Ceinfs municipais. Atualmente, os cargos são de confiança e funcionários são nomeados pelo gestor.

Ofício

O vereador Eduardo Romero (Rede) encaminhou ofício à Secretaria Municipal de Educação (Semed) e ao prefeito Alcides Bernal, solicitando informações sobre a exoneração dos diretores dos Ceinfs e das Escolas Municipais. “Quais os critérios considerados para fazer as exonerações, são técnicos? Essas alterações vão representar uma economia para o Executivo, valorizar os profissionais concursados e principalmente garantir uma melhor qualidade para as crianças e estudantes. A educação deve ser tratada com responsabilidade e transparência, pois estamos tratando do futuro de nossas crianças”, explica.