29 de novembro de 2020
Campo Grande 35º 23º

INTERIOR

Vereadores xingam site e jornalista, mas são obrigados a revogar reajuste nos próprios salários

O site 'O Jacaré' denunciou reajuste na cidade de 26,7 mil habitantes, que não conta com nenhum leito de Unidade de Terapia Intensiva (UTI)

Os vereadores de São Gabriel do Oeste espernearam e xingaram quem divulgou, criticou e condenou o reajuste nos próprios salários, do prefeito, da vice-prefeita e dos secretários municipais em meio à pandemia do coronavírus. No entanto, constrangidos, eles recuaram e apresentaram novo projeto de lei para revogar o aumento e manter os mesmos subsídios pagos neste ano para a legislatura de 2021-2024.
Após o site O Jacaré divulgar o reajuste na cidade de 26,7 mil habitantes, que não conta com nenhum leito de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para tratar prováveis vítimas da temível Covid-19, os parlamentares tentaram ludibriar a população. Inicialmente, chamaram a reportagem de “mentira”.

Até usaram dinheiro público e o site do legislativo para repetir que era mentira. No entendimento do presidente da Câmara, Valdecir Malacarne (PPS) e seus seguidores, só houve fixação dos valores para a próxima legislatura. Mesmo custando mais ao cidadão, ele repetiu a tese de que só houve “correção” do subsídio.

A “mentira” iria custar caro aos cofres de São Gabriel do Oeste. O salário do prefeito teria correção de 6,84%, passando dos atuais R$ 22.136,75 para R$ 23.650,90 a partir de janeiro de 2021. Já o vencimento pago a cada um dos 11 vereadores teria acréscimo de 6,44%, de R$ 7.136,48 para R$ 7.596,68. O salário da vice-prefeita Ivone Pierezan e dos secretários municipais passa de R$ 11.068,37 para R$ 11.825,44.

A presidente da 21ª subseção da OAB/MS, Célia Regina Bernardo, publicou nota de repúdio contra o aumento nos salários dos vereadores, prefeito e todo o primeiro escalão de São Gabriel do Oeste. Ela classificou o aumento como imoral e inoportuno, mesmo sendo legal.

Nesta sexta-feira (3), todos os vereadores assinaram dois projetos de lei, que serão votados na próxima terça-feira e vão revogar o reajuste. “Diante da repercussão negativa de que os vereadores aumentaram os próprios salários, mesmo que isso não seja verdade, várias manchetes foram propagadas nos meios de comunicação, causando transtornos à imagem do Legislativo e dos vereadores, que sempre tiveram boa imagem perante a comunidade”, informaram, no site da Câmara Municipal. (Veja aqui).

Rogério Rohr (PDT) celebrou a vitória dos moradores de São Gabriel do Oeste em vídeo publicado nas redes sociais. Na sua opinião, a força do povo obrigou os colegas de parlamento a recuar e desistir do “reajuste coronavírus”.

Somente ele e mais dois vereadores foram contra o aumento: Luizinho Freitas (PSDB) e Vagner Trindade (PSB).

O reajuste contou com o voto favorável dos vereadores Ângelo Mendes (Republicanos), Fernando Rocha (PSB), Marcos Paz (PSB), Ramão Gomes (PTB), Roberto Emiliani (MDB), Rose Pires (MDB), Rosmar Alves (Progressistas) e Valdecir Malacarne.

Os vereadores de Amambai aprovaram reajuste de até 45% nos próprios subsídios, inclusive do prefeito, vice-prefeito e secretários. Dr. Bandeira (PSDB) anunciou que vetou o projeto devido à pandemia do coronavírus.

Os vereadores de Jardim iriam recuar do reajuste de 13,02% no salário do prefeito Guilherme Monteiro (PSDB), do vice -prefeito e dos secretários em sessão desta sexta-feira. Em Bandeirantes, a Câmara aprovou o congelamento dos valores para a próxima legislatura.

Em Campo Grande, os 29 vereadores continuam mantendo o reajuste de 26% e podem receber R$ 19 mil a partir de 2021. O subsídio do prefeito Marquinhos Trad (PSD) teve reajuste de 4,1%, mas foi anulado pela Justiça.

Fonte: O Jacaré