20 de outubro de 2020
Campo Grande 30º 21º

Às vésperas de audiência para discutir reajuste de água, Bernal e sua equipe não confirmam presença

Entre os convidados para participar de audiência pública que discutirá os preços praticados pela concessionária Águas Guariroba e a qualidade da água distribuída em Campo Grande, apenas a equipe do prefeito Alcides Bernal (PP) ainda não confirmou presença. De acordo com o vereador Chiquinho Telles (PSD) tanto o chefe do executivo municipal quanto a diretora-presidente da Agereg (Agência de Regulação dos Serviços Públicos Delegados de Campo Grande), Ritva Vieira, ainda não responderam ao seu convite.

A audiência será realizada amanhã a partir das 14h30 no plenarinho da Câmara Municipal. Segundo Chiquinho, o objetivo é trazer uma resposta da empresa para a população e a presença de Ritva é essencial porque a prefeitura pode rever o contrato, se for necessário. “A denúncia chega até o seu gabinete e você tem que dar resposta. Quem pode dar resposta é a empresa. A população tem que saber o caminho para reclamar. Não tenho nada contra a empresa, mas tem muita reclamação e onde há fumaça tem fogo. Vamos discutir inclusive a qualidade de água, a quantidade de cloro, como ela (Águas Guariroba) pode provar que bebemos água com qualidade”.

Entre os temas abordados, também está a taxa de religação da água e a taxa de ligação à rede de esgoto. “Eles reclamam da taxa de ligação que custa R$ 530 para ligar o tubo que passa na rua à residência. As pessoas não concordam, acreditam que pagando 70% do esgoto já cobre essa taxa. A água subiu muito. Está mais cara que a Enersul (concessionária de energia elétrica). O pessoal da região Imbirussu toda está descontente. E temos o defensor público, Amarildo Cabral, que tem o parecer favorável aos contribuintes”, explicou.

Também foram convidados para participar da audiência o presidente da Águas Guariroba, José João Fonseca, um representante da defensoria pública do TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul), um representante do Procon (Superintendência de Proteção e Defesa do Consumidor), e o presidente da comissão de defesa do consumidor da OAB (Ordem dos Advogados Brasileiros), Leandro Provenzano.