24 de outubro de 2020
Campo Grande 29º 23º

Zé Teixeira se revolta após audiência entre Comissão da Verdade e índios

Revoltado, o deputado Zé Teixeira (DEM) ocupou a tribuna na ALMS (Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul) para expressar sentimento de revolta devido a realização de uma audiência entre a Comissão Nacional da Verdade (CNV) e os índios em Dourados. De acordo com o deputado, a comissão deveria trocar de nome. “Ao invés de ter o nome de Comissão da Verdade, deveria se chamar Comissão da Mentira, porque eles se reuniram com os índios, ouviram apenas o lado dos índios e não ouviram mais ninguém”.

Sobre as reclamações feitas pelos indígenas de que a situação da saúde está um caos, o deputado apresentou um levantamento através do Portal da Transparência do governo federal, ressaltando que verbas foram liberadas para contribuir com a saúde dos índios na região. “Eu fiz um levantamento e constatei que o governo federal liberou R$105 milhões para a saúde indígena. O que aconteceu com este dinheiro se não chegou até eles? Porque eles estão reclamando, o que está acontecendo afinal?”.

Ao tomar conhecimento da verba liberada aos índios de Dourados, a deputada Mara Caseiro (PT do B) fez uso da palavra e ressaltou que uma providência deve ser tomada. “Se este dinheiro foi liberado, o que aconteceu com ele? Porque para os indígenas ele não chegou, porque se tivesse chegado não estaríamos recebendo tantas denúncias de problemas vividos por eles em Dourados. Temos que fazer alguma coisa porque estamos falando de um valor considerável, que foi liberado para ajudar os índios”.

Zé Teixeira (DEM) garante que conversou com o prefeito de Dourados, Murilo Zauith para verificar se a verba passa pela prefeitura. “Falei com o Zauith e ele garantiu que a verba não passa pela prefeitura”.

Demonstrando insatisfação com a reação dos índios, o deputado Zé Teixeira (DEM) afirma que índios devem ter o mesmo direito que os brancos ao lembrar da invasão de terras. “Se o branco não pode invadir porque é que o índio pode? Isso não existe, os direitos são iguais para todos. Agora eles ficam querendo impedir até o direito de ir e vir da população e isso não pode acontecer. Passou da hora de algo ser feito”, finaliza o deputado.

Dany Nascimento