13 de agosto de 2020
Campo Grande 34º 21º

MPE recebe denúncia contra Nelsinho e Mandetta por irregularidades do Gisa

O vereador e deputado federal eleito, Zeca do PT protocolou hoje uma denúncia por improbidade administrativa contra o ex-secretário de saúde de Campo Grande, Luiz Henrique Mandetta (DEM), e seu primo, o ex-prefeito da Capital Nelsinho Trad (PMDB) por irregularidades na contratação e execução de serviços do Programa Gisa.

A denúncia de Zeca se baseia em informações do relatório da CGU (Controladoria Geral da União), que apontam para diversas irregularidades no contrato firmado entre a prefeitura e a empresa Telemídia, que deveria ter instalado um sistema de agendamento de consultas nas unidades de saúde da Capital por telefone. O contrato foi assinado em 2008, o valor do serviço, quase R$ 9 milhões foi pago, mas o sistema nunca funcionou. Por isso, Zeca decidiu denunciar Nelsinho e Mandetta por improbidade administrativa.

Um dos itens considerados imorais apontados pela auditoria da CGU foram as viagens nacionais e internacionais feitas pelo ex-secretário Mandetta pagas pela empresa “Telemídia”, proprietária do sistema Gisa, contratada pela prefeitura em uma licitação suspeita.

“É inconcebível a prefeitura realizar pagamentos de quase R$ 9 milhões para uma empresa, que nunca realizou os serviços contratados. Pagar por um sistema que nunca saiu do papel e ainda o secretário de saúde viajar mundo a fora por conta da empresa contratada”, criticou Zeca do PT. O relatório ainda aponta que a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde), na época sob comando de Mandetta, realizou pagamentos antecipados aos serviços, sem descrição dos feitos, e foram identificadas notas fiscais superfaturadas com valores além do previsto em contrato e sem a comprovação da prestação efetiva dos serviços . “Por várias vezes a imprensa noticiou tentativas para marcar consultas por meio do telefone, porém nunca funcionou. O Ministério Público tem que investigar essa denúncias, punir quem é responsável e ressarcir aos cofres públicos o prejuízo gerado pelo Gisa ”, cobrou Zeca.

Heloísa Lazarini