27 de setembro de 2020
Campo Grande 39º 25º

NOVA LICITACÃO

Empresas poderão apresentar propostas para finalizar obra do Centro de Belas Artes

Obra parada há 13 anos deve finalmente ser finalizada no início de 2020 e ser marco na história do Prefeito Marquinhos Trad frente à gestão em Campo Grande

As empresas poderão apresentar novamente suas propostas para que seja terminada a obra do Centro de Belas Artes de Campo Grande no dia 3 de fevereiro de 2020 às 8h, na sala de reuniões da Diretoria-Geral de Compras e Licitação, situada na Avenida Afonso Pena, nº 3.297, no Paço Municipal. 

Os trâmites à obra estavam parados há três meses, quando foi suspensa pelo Tribunal de Contas de Mato Grosso do Sul, a nova licitação gira em torno de R$ 4, 149 milhões, quase R$ 400 mil a menos que o orçamento anterior que alcançava a cifra de R$ 4,5 milhões, segundo o Portal da Transparência de MS.   

O Centro, que promete ser um dos principais pontos de artes da Capital está sendo construído há surpreendentes 13 anos. A última licitação envolvendo a obra foi paralisada em setembro, segundo o TCE, havia divergências nas planilhas da obra.  A prefeitura de Campo Grande chegou a rebater a determinação de paralisação entrando com recurso, no entanto, a falta de rapidez nas esferas judiciais levou ao fim do prazo para as empresas apresentarem as propostas.

“Prefeito Nelson Trad Filho promete Centro Cultural; 1% para a cultura não sai em 2008”, essa foi uma notícia feita pelo jornal O Estado, publicada em dia 25 de outubro de 2007. No entanto, até hoje a obra é um elefante branco situado na esquina da Rua Plutão com a Avenida Ernesto Geisel.

O QUE ENTRA?

Estão previstas instalações hidráulicas, elétricas, acessórias até a arquitetura, iluminação, aparelhagem de ar condicionado, esgotamento e controle de água da chuva. Instalação de eletro dutos - linha elétrica fechada, pára-raios, redes de tubulação, saídas de emergência com informações como placas e luminárias de emergência e barra anti-pânico, degrau antiderrapante e guarda-corpo nas saídas de emergência previstos em lei para garantir a segurança de servidores e da população. 

O piso terá granito polido, madeira, carpete e haverá esquadrias metálicas. As portas  serão substituídas e as paredes revestidas com azulejo.

O novo Centro Cultural terá 11 mil e 500 metros quadrados de área no local onde inicialmente o falecido arquiteto Rubens Gil de Camillo havia proposta a construção da nova rodoviária de Campo Grande. Haverá espaço para as artes plásticas, dança, música, uma escola de teatro, salas para oficinas, restaurante, área para convivência, exposições de artes plásticas, pinacoteca municipal, e alojamento para 100 pessoas pernoitarem com entrada independente. 

Conforme o documento, o local abrigará também os ensaios da Banda Municipal Ulisses Conceição, da Orquestra Sinfônica Municipal e de grupos de teatro e de dança. A entrada principal será pela Avenida Ernesto Geisel.

Um teatro multifuncional para 400 lugares será construído, com pé direito alto e fosso para músicos, o que possibilitaria, por exemplo, apresentação de dança com orquestra.