30 de outubro de 2020
Campo Grande 24º 18º

ECONOMIA

Estagnado há 5 anos, mercado imobiliário de MS deve crescer em 2020

Setor imobiliário começou a ter boas notícias no final de 2018 segue boa onda com reduções nos juros do financiamento e queda da taxa Selic

Construtoras vivem momento de otimismo e avaliam que ano que vem será o melhor dos últimos cinco.

Há pelo menos cinco anos o mercado imobiliário vinha num cenário de estagnação, com pouco ou nenhum movimento, e agora a expectativa é de otimismo para o ano que vem chegando e os bons ventos já estão soprando há alguns meses.

Segundo a executiva da SBS Empreendimentos, Phaena Spengler o setor imobiliário começou a ter boas notícias no final de 2018 com a regulação da desistência da compra de imóvel que deu segurança para as partes, e seguiu uma boa onda com as sucessivas reduções nos juros do financiamento imobiliário e também uma forte queda da taxa Selic. “Nesse cenário, investir num imóvel seja moradia ou visando valorização, volta a ser uma ótima opção. Sabendo que o morador ou cliente tem segurança para decidir pela compra de um bem de alto valor agregado, já que tem a oferta de financiamento viável, o incorporador também ganha disposição para colocar no mercado novos produtos e assim estamos vendo a roda do mercado voltar a girar”, comemorou Phaena.

O mercado imobiliário é um segmento que tem uma longa cadeia de produção, alcançado todos os setores: indústria, comércio e serviços. Quando as construtoras começar a se movimentar elas giram negócios que vão desde o fabrico de materiais de engenharia civil e acabamentos somando cerca de 1300 itens, até a contratação de mão de obra, é o setor que mais emprega em todo o mundo. A empresa que Phaena representa, a SBS Empreendimentos está entre as que começaram a contratar profissionais e comprar produtos impulsionando este movimento em Mato Grosso do Sul.

A incorporadora campo-grandense deve anunciar ainda no primeiro semestre de 2020 um novo empreendimento para o centro da cidade e já está saindo da fase do planejamento para a execução. “Antes de estarmos aptos para apresentar para o cliente o novo produto tem uma longa fase de produção, com a dedicação de consultores das diversas áreas, levantamentos de custos, orçamentos e definição do perfil de vendas. Já demanda muita gente envolvida. Estamos contratando equipe e fornecedores, voltando a um ritmo de muito trabalho e isso é muito estimulante”, finalizou Phaena Spengler.

*Com assessoria.