23 de janeiro de 2021
Campo Grande 30º 21º

Produtores buscam inovações tecnológicas para aplicar em áreas rurais

A busca por conhecimento em tecnologias para o campo, produtividade, estudo de solo e sementes, além de maquinário agrícola, é cada vez mais procurado pelo agricultor rural.Pensando nisso, a Fundação Chapadão, juntamente com a Famasul (Federação da Agricultura e Pecuária de MS), Aprosoja (Associação dos Produtores de Soja de MS) e Seprotur (Secretaria de Estado de Produção e Turismo), lançaram hoje a 17ª Tecnoagro.

A feira acontece nos dias 12 e 13 de março no município de Chapadão do Sul – distante 325 quilômetros de Campo Grande e pretende atrair grande público de produtores, além de apresentar exposições de maquinários e produtos. “ A feira mostra ao produtor épocas de plantio, variedades de soja, manejos, solo e pragas. A cada ano que passa os produtores buscam maior produtividade. Hoje os produtores alcançam até 60 sacas por hectares, alguns conseguem até 80”, destaca o presidente da Fundação Chapadão, Adriano Loeff.

Os temas para esse ano são o desenvolvimento da agricultura familiar e as ações de combate a lagarta helicoverpa armígera. Haverão palestras nos períodos matutino e vespertino englobando diferentes temas para conhecimento dos produtores rurais, não esquecendo do pequeno produtor, com foco na agricultura familiar, e a apresentações desenvolvidas pela Fundação, com resultados obtidos no combate a helicoverpa, bastante presente na última safra.

O presidente da Aprosoja, Maurício Saito, afirma que além do evento possibilitar i acesso às tecnologias e produtividade, informou que esse ano, até o momento já foram colhidos 11% da soja, porém, haverá uma quebra no Estado de 5% em relação a expectativa, que resultará na colheita de 6,1 milhões de toneladas do grão.

Outro objetivo é levar aos presentes a possibilidade de mudanças nas áreas, recuperando pastagens através da inserção de novas culturas. Haverá quatro estações de estudo na feira, onde os pesquisadores irão apresentar resultados desenvolvidos com o cultivo de soja, milho, braquiária e girassol.

A secretária de Seprotur, Tereza Cristina Corrêa da Costa Dias lembrou que hoje o Estado é o 5º maior produtor. “A área de  manejo cresceu, mas o que mais cresceu foi a produtividade. O produtor adquirindo mais conhecimento vai aprender a agir em sua área e aumentará sua renda”, concluiu.

Tayná Biazus