23 de novembro de 2020
Campo Grande 35º 20º

CEARÁ

Cinco enfermeiros da 'linha de frente' morrem por Covid-19

Falta de Equipamentos de Proteção Individual é fator que facilita as contaminações de quem luta contra a doença

Leia também

• Atriz Daisy Lúcidi morre após 13 dias internada com Covid-19

• Passam de trezentos infectados por Covid-19 em MS

• Carros clandestinos transportam mortos por covid-19 sem proteção

O Conselho Federal de Enfermagem (Cofen) revelou em levantamento divulgado nesta 5ªfeira (7.maio), que o Ceará registrou cinco mortes de profissionais da Enfermagem contaminados pela Covid-19. Outros 564 enfermeiros estão afastados devido aos sintomas da doença e aguardam resultado dos exames. O Ceará é o estado com a 2º maior confirmação de infectados e fica atrás apenas da Bahia, onde há 144 casos confirmados.  

O Observatório da Enfermagem, atualizada a cada 24h pelos profissionais responsáveis das unidades hospitalares destaca que as contaminações estão relacionados às condições em que os profissionais da saúde enfrentam no cotidiano de combate à pandemia.

Um analise feita pela presidente do Conselho Regional de Enfermagem do Ceará (Coren),  Ana Paula Brandão aponta que a falta de  Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) e poucos testes elevam os riscos de contaminação dos profissionais.  “Nós acreditamos que o fato de estarmos como o primeiro em mais número de casos seja pelos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) ausentes, além da (boa) quantidade de testes”, explicou ao site Diário do Nordeste.  

Somando os casos confirmados e suspeitos, o Ceará é o estado mais atingido da Região com 689 enfermeiros monitorados, seguido por Pernambuco, onde são 428 casos e Bahia com 389 profissionais

Fonte: *Diário do Nordeste.